Colégio de São Paulo combate bullying com inteligência artificial

Por Thaís Augusto | 08 de Maio de 2019 às 08h22
Freepik

Contra o bullying, a inteligência artificial. Foi essa a solução encontrada pela Escola Bosque para conscientizar os alunos sobre a violência – física ou verbal – ao mesmo tempo em que debate o assunto dentro da sala de aula.

A escola, localizada em São Paulo, criou um chatbot capaz de discutir o bullying e convidou os estudantes para colocarem a mão na massa: eles foram os responsáveis por enviar as perguntas que treinaram a inteligência artificial. Assim, eles compreendem melhor o funcionamento da tecnologia.

Dos 320 estudantes matriculados na Escola Bosque, 180 se envolveram no processo de desenvolvimento do chatbot. "Quando falamos para os alunos sobre esse novo projeto, o empenho foi grande", contou a professora responsável pelo chatbot, Girzele dos Santos.

Ela diz que uma turma de 80 estudantes do Ensino Fundamental II trabalhou na curadoria das perguntas enviadas para formar a base de conteúdo do chatbot. "Foi surpreendente ver como as crianças se mostraram confortáveis na interação com o bot, principalmente por ser um espaço neutro e livre de julgamentos. Nosso objetivo é tornar isso cada vez mais natural", disse a professora.

Escola Bosque de São Paulo criou sistema de inteligência artificial para combater bullying (Imagem: Freepik)

Para manter a ferramenta sempre atualizada, novas perguntas e respostas são adicionadas de acordo com as interações dos alunos. Assim, o conteúdo reflete o dia a dia de cada um e a realidade da escola. Isso significa que o sistema de inteligência artificial estará em constante aprendizado, assim como os alunos.

Durante a criação do chatbot, a escola usou recursos de IA do Microsoft Teams, uma ferramenta que é parte do Office 365. No colégio, o Teams é acessado por alunos e professores.

Na Escola Bosque, os alunos têm o primeiro contato com a tecnologia aos quatro anos. Dos oito aos 15, aulas de robótica são parte do currículo e os estudantes utilizam tecnologias como o Office 365, Microsoft Whiteboard e Windows 10.

Para 2019, a escola tem novos planos. "Com apoio da Big Brain Education, estamos trabalhando em uma inteligência artificial mais complexa para interagir com os alunos e lidar não só com o bullying, mas outras questões do dia a dia dos alunos", explicou a diretora pedagógica da Escola Bosque, Silvia Scuracchio.

Em seu desenvolvimento, o novo projeto contará com a sua base de dados hospedada no Microsoft Azure. Para melhorar o desempenho, o chatbot será integrado ao PowerBI, no qual os professores terão acesso aos assuntos mais procurados pelos alunos e estatísticas completas de uso.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.