Tapete com 9 mil sensores táteis pode revolucionar jogatina em realidade virtual

Tapete com 9 mil sensores táteis pode revolucionar jogatina em realidade virtual

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 01 de Julho de 2021 às 18h50
Reprodução/MIT CSAIL

Pesquisadores do Computer Science and Artificial Intelligence Laboratory (CSAIL) do MIT, nos EUA, criaram um tapete inteligente capaz de rastrear os movimentos de uma pessoa sem a necessidade de utilizar câmeras ou qualquer outro dispositivo eletrônico para captar imagens em tempo real.

O protótipo mede 3,3 metros quadrados e possui mais de 9 mil sensores para detectar diferentes pontos de pressão ao longo de todo o tapete. Se um peso é colocado em qualquer parte da superfície, sinais elétricos são enviados instantaneamente utilizando apenas as informações táteis do usuário.

“Você poderia imaginar o uso do tapete em treinos físicos variados. Com base apenas nessas informações táteis, ele pode reconhecer a atividade, contar o número de repetições feitas e ainda calcular a quantidade de calorias queimadas durante o exercício praticado”, afirma o estudante de engenharia mecânica Yunzhu Li, coautor do projeto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quase mágico

De acordo com a equipe do CSAIL, o tapete consegue identificar ações específicas sobre sua superfície com 97% de precisão. Além disso, o dispositivo é capaz de prever os movimentos realizados pelo usuário e criar uma imagem tridimensional com uma margem de erro de apenas 10 cm.

Para produzir essa imagem 3D, uma pessoa tem apenas que subir no tapete, executar uma ação e, em seguida, uma rede neural profunda consegue determinar se o usuário faz abdominais, alongamentos, ou desenvolve qualquer outro tipo de ação. Cada um dos sensores capta a movimentação por meio do contato físico entre os pés, torso e membros superiores e inferiores.

“O tapete também pode ser aproveitado no monitoramento de saúde em indivíduos de alto risco, para detecção de quedas de idosos, na reabilitação de pessoas debilitadas, ou para aprimorar sistemas de mobilidade”, diz o aluno de engenharia mecânica do CSAIL Yiyue Luo, autor principal do estudo.

Games

Os pesquisadores usaram câmeras apenas para criar os conjuntos de dados que serviram de base para treinar a rede neural do tapete. O sistema foi sincronizado com informações táteis e visuais, utilizando imagens e um mapa de calor durante a realização de vários tipos de atividades, como flexões, abdominais, caminhadas e posturas de ioga.

Imagem gerada pela câmera (esquerda) e imagem estimada pelo sensor tátil (Imagem: Reprodução/MIT CSAIL)

Os resultados mostraram que o dispositivo também pode ser usado em jogos de videogame ou em aplicação de realidade virtual (RV). No mundo dos games, o item pode se tornar menos complicado do que os atuais rastreadores vestíveis, mais fáceis de configurar do que os sensores infravermelhos e muito mais seguros do que as câmeras convencionais.

Além disso, o tapete teria um custo de produção em larga escala relativamente baixo, já que para criar o protótipo em laboratório os cientistas gastaram menos de US$ 100 (cerca de R$ 500 em conversão direta). “Nós queremos agora adaptar o dispositivo para captar os sinais de várias pessoas ao mesmo tempo e também encontrar maneiras de coletar informações importantes para a realização de exercícios físicos, como a altura e o peso de cada usuário”, completa Yiyue Luo.

Fonte: MIT CSAIL

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.