QR Code comestível ajuda a identificar bebidas falsas

QR Code comestível ajuda a identificar bebidas falsas

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 08 de Junho de 2022 às 16h10
Reprodução/Purdue University

Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, desenvolveram uma etiqueta de seda comestível para ajudar na identificação de bebidas falsas. O dispositivo possui um QR Code que pode ser lido por um aplicativo de celular para confirmar a autenticidade de um uísque, por exemplo.

Segundo os cientistas, a vantagem desse novo sistema de identificação óptica é que os fabricantes de bebidas alcoólicas poderiam colocar essa etiqueta inteligente do lado de dentro das garrafas, dificultando a manipulação indevida e a ação dos falsificadores.

“Essa nova tecnologia antifalsificação pode ser um passo não apenas para encontrar uma solução para a indústria de bebidas alcoólicas, mas também para lidar com medicamentos falsificados que contêm álcool em suas fórmulas”, explica o professor de engenharia biomédica Young Kim, autor principal do estudo.

Etiquetas de seda

Para aumentar a durabilidade das etiquetas, os pesquisadores adicionaram álcool às proteínas da seda. Com uma tolerância maior ao processo de degradação imposto pela composição química do álcool, essas etiquetas podem ser mantidas dentro de uma garrafa por muito mais tempo.

Esquema de funcionamento das etiquetas inteligentes (Imagem: Reprodução/Purdue University)

Além disso, as tags são comestíveis e não causam problemas de saúde caso sejam engolidas por um consumidor desavisado enquanto ele toma uma dose de sua bebida alcoólica preferida. Outra vantagem é que as etiquetas inteligentes não afetam ou modificam o sabor do produto.

“As bebidas alcoólicas são muito vulneráveis ​​à falsificação. Há muitos destilados falsos sendo vendidos no mundo todo, gerando prejuízos econômicos e representando um risco à saúde dos consumidores que ingerem produtos sem qualquer controle de qualidade”, acrescenta Kim.

Seda fluorescente

As etiquetas inteligentes são fabricadas com proteínas de seda fluorescentes invisíveis a olho nu. O processamento do material é feito a partir de bichos-da-seda especializados na produção de biopolímeros que podem ser usados em uma grande variedade de padrões para codificar informações.

Etiquetas são feitas com proteínas de seda fluorescentes invisíveis a olho nu (Imagem: Reprodução/Purdue University)

Esse processo garante que as tags permaneçam legíveis independentemente do meio alcoólico no qual estão submersas. Durante os testes realizados em laboratório, os pesquisadores conseguiram fazer a leitura dos QR Codes — em amostras de uísque com 40% de teor alcoólico — durante aproximadamente 10 meses.

“Nossas etiquetas são um mecanismo de autenticação adicional para selos de segurança usados em bebidas alcoólicas e medicamentos. Elas podem ajudar a aumentar o controle de qualidade, impedindo a comercialização de produtos falsificados vendidos como originais”, encerra o professor Young Kim.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.