Nike deve ser a próxima gigante a realizar o sonho do metaverso próprio

Nike deve ser a próxima gigante a realizar o sonho do metaverso próprio

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 04 de Novembro de 2021 às 16h22
Divulgação

O metaverso é a palavra da vez no mundo da tecnologia após o anúncio do Facebook/Meta de ingressar nesse mundo digital. Após a Microsoft também revelar seus planos para criar um rival à altura, agora uma empresa de fora do ramo tecnológico anunciou a intenção de criar seu próprio sistema: a Nike. Segundo documentos enviados ao setor de registro de patentes dos Estados Unidos, a gigante do ramo de artigos esportivos e calçados planeja adentrar nesse admirável mundo novo no segmento de "bens virtuais".

Em um trecho do documento, a Nike solicita da autoridade regulatória a proteção de marca registrada como "bens virtuais para download", que incluiria programas de computador com calçados, roupas, chapéus, óculos, bolsas, mochilas, obras de arte, brinquedos e acessórios para uso online e em "mundos virtuais online". Embora não esteja explícito, o pedido dá a entender se tratar de NFTs inspirados em produtos da companhia.

O pedido de patente da Nike indica entrada no metaverso (Imagem: Reprodução/USPTO)

A hipótese ganhou mais força após a empresa divulgar um processo seletivo com quatro vagas para atuação como "designer de materiais virtuais". Os contratados vão atuar junto ao time de designers de materiais da companhia para criar "sofisticados e inovadores materiais virtuais conceituais do mundo utilizando ferramentas 3D".

Esse cargo foi criado para integrar o setor de Criação de Produtos Digitais, um time supostamente "focado em começar a revolução virtual e digital da Nike". Essas funções devem desempenhar papel fundamental na criação do tal metaverso da empresa, o que ainda não está claro como funcionará.

Metaverso próprio ou estratégia?

Em se tratando de uma loja de roupas e calçados, é provável que esse mundo digital seja mais utilizado como uma ferramenta de marketing agressivo e inovador do que uma proposta tão ampla. Existe também a possibilidade de a empresa estar disposta a produzir seus produtos com intuito de comercializá-los no metaverso da Meta — ou de outros que possam surgir —, o que poderia trazer uma fonte de renda extra e fundamental para digitalizar a empresa.

O vídeo da Meta já mostra relógios, roupas e outros acessórios virtuais que poderiam ser fornecidos por marcas famosas (Imagem: Reprodução/Meta)

Curiosamente, no mesmo pedido de marcas e patentes, a Nike solicita o registro do slogan "Just Do It" e da sua conhecida logomarca, chamada Swoosh, bem como outros produtos relacionados com a empresa como "Air Jordan" e "Jumpman". Isso também pode ter ligação com o universo digital, pois impediria que terceiros criassem versões próprias de tênis da companhia para distribuir digitalmente como um NFT, por exemplo.

Esse trâmite de registro de patentes nos EUA costuma levar no mínimo seis meses para análise e envio dos examinadores. Apesar disso, não é preciso esperar todo esse tempo para já começar a desenvolver as ações no ambiente digital, por isso a Nike deve seguir com o seu projeto, possivelmente com algum anúncio quanto houver algo mais concreto para ser demonstrado.

Fonte: CNBC, Nike  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.