Amazon permite que clientes paguem com a palma da mão em sua rede de mercados

Por Rui Maciel | 21 de Abril de 2021 às 18h45
Divulgação / Amazon

A Amazon anunciou nesta quarta-feira (21) que levará o Amazon One, seu novo dispositivo biométrico, para as lojas da Whole Foods, rede de mercados da gigante do e-commerce. Com isso, os clientes poderão pagar escaneando a palma da mão sobre o leitor, dispensando o uso de dinheiro ou cartões de crédito e débito.

Segundo a Amazon, a assinatura da palma do cliente pode ser associada ao seu mecanismo de pagamento em um ambiente de varejo - como as lojas Amazon Go e que permitem aos clientes comprar e sair sem ter de passar por nenhum tipo de caixa - os produtos são registrados na conta do usuário por meio de reconhecimento facial. Agora, na Whole Foods, o scanner Amazon One será adicionado como uma opção de pagamento na finalização da compra. No entanto, ele não substituirá as outras formas já usadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Amazon One: a palma da mão como senha para compras(Divulgação / Amazon)


A primeira unidade da Whole Foods a usar o Amazon One é a loja localizada na Madison Broadway, em Seattle (sede da Amazon). Mas a companhoa planeja utilizar o dispositivo em mais sete lojas na área metropolitana da cidade norte-americana nos próximos meses. Seattle servirá como um mercado de teste para a nova tecnologia antes que a Amazon passe a implementá-la de forma mais ampla pelos EUA.

Cadastro em massa

O Amazon One foi apresentado pela Amazon em setembro do ano passado e foi instalado em várias lojas da marca também em Seattle, como a Amazon Go, a Amazon Go Grocery, a Amazon Books e a Amazon Pop Up. A companhia afirma que milhares de clientes já registraram a palma das mãos para funcionar como uma validação de compra.

Nas lojas da Whole Foods, os interessados em usar o Amazon One poderão cadastrar a palma da mão em um quiosque ou dispositivo presentes nas unidades participantes. Eles poderão registrar as duas mãos se quiserem. O scanner usa tecnologia de visão computacional para criar a assinatura, uma marca única que estará associada ao cartão de pagamento que o cliente insere no dispositivo. Feito isso, nas outras vezes, basta usar a palma da mão para efetuar o pagamento, sem a necessidade do cartão.

No entanto, a Amazon afirma que os clientes que já se inscreveram no Amazon One em uma loja específica terão que reinserir seu cartão de crédito mais uma vez, caso queiram usar o método em uma unidade diferente da Whole Foods. Além disso, no futuro, os consumidores poderão vincular seu Amazon One ID com sua conta Amazon. Dessa forma, eles terão acesso a descontos caso sejam assinantes do serviço Amazon Prime e poderão aplicá-las em suas compras na Whole Foods, por meio do Amazon One.

“Estamos sempre procurando maneiras novas e inovadoras de melhorar a experiência de compra de nossos clientes”, disse Arun Rajan, vice-presidente sênior de tecnologia e CTO da Whole Foods Market, em comunicado. “Trabalhando em estreita colaboração com a Amazon, trouxemos benefícios como descontos para membros Prime, entrega e retirada online de mantimentos e devoluções gratuitas para nossos clientes, e estamos ansiosos para adicionar o Amazon One como uma opção de pagamento a partir de hoje. Esperamos ouvir o que os clientes pensam [sobre o novo método de pagamento] à medida que expandimos esta opção para lojas adicionais ao longo do tempo”.

Preocupação com a segurança de dados

No entanto, esse novo scanner biométrico traz, mais uma vez, preocupações sobre a segurança dos dados, considerando o histórico da Amazon com tecnologia do gênero.

A empresa já vendeu serviços de reconhecimento facial para policiais nos Estados Unidos. E a Ring, sua empresa de câmeras, continua a trabalhar em parceria com as autoridades do gênero. Além disso, sua tecnologia de reconhecimento facial foi objeto de um processo por invasão de privacidade de dados. Sem contar que a Amazon mantinha os registros de voz da assistente virtual Alexa indefinidamente, sem dar aos usuários a opção de excluí-los. Mas é importante citar que, nesse último caso, a medida já foi revertida pela companhia.

No anúncio de hoje, a gigante do e-commerce afirma que Amazon One é “protegido por vários controles de segurança e as imagens da palma da mão nunca são armazenadas no dispositivo em questão”. Ela diz que as imagens são criptografadas e enviadas para uma área segura construída para o Amazon One na nuvem (AWS), onde a Amazon cria as assinaturas da palma da mão dos clientes.

Scanner Amazon One (Imagem: Divulgação / Amazon)


Ele também oferece uma maneira para que os clientes cancelem a inscrição no Amazon One, seja a partir do próprio scanner, seja a partir do site "one.amazon.com", que também exclui os dados biométricos quando todas as transações são concluídas.

No mais, a Amazon tem testado outras tecnologias que transformem a experiência de compra. Na última terça-feira (20), ela anunciou testes de Realidade Aumentada (RA) em um salão de cabeleireiro em Londres. A solução envolve câmeras captando imagens de clientes e consegue mostrar uma prévia da coloração no cabelo a partir de um tablet instalado na parede. Nesse mesmo local, há também uma tecnologia de "apontar e aprender". Quando o cliente indica com o dedo um produto no qual se interessou, a mesma tela captura o movimento e mostra informações sobre ele e como comprá-lo.

Tecnologia de RA da Amazon em um salão de beleza em Londres: novas experiências de consumo (Imagem: Divulgação / Amazon)


A Amazon afirmou que não está retendo dados dos clientes que estão utilizando essas tecnologias. No entanto, ela não respondeu quais informações não pessoais estavam sendo coletadas no salão.


Leia também:

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.