Testes com Steam Deck mostram bom desempenho, bateria e sistema térmico

Testes com Steam Deck mostram bom desempenho, bateria e sistema térmico

Por Eduardo Moncken | Editado por Wallace Moté | 29 de Setembro de 2021 às 09h25
Reprodução/Valve

A mais nova empreitada da Valve no mercado de hardware é o Steam Deck. Não se fazem mais consoles portáteis como antigamente, principalmente porque a Sony saiu desse negócio e a Nintendo nada praticamente sozinha em um mar de franquias próprias. Apesar de buscar oferecer a experiência do PC nas mãos, o Steam Deck deve contar com a versatilidade dos inúmeros jogos, de AAA a indies, disponíveis na Steam.

Previsto para ser lançado no final deste ano, ao menos nos Estados Unidos, desenvolvedores já estão com as mãos em kits de desenvolvimento (dev kit). Basicamente são versões modificadas do produto final, com adaptações que tornam práticos os diagnósticos e testes que programadores precisam fazer, e de acordo com informações que chegam por quem está com uma unidade dessas, os resultados preliminares são bons.

Foram testados jogos como Shadow of the Tomb Raider, Doom, Cyberpunk 2077 e DOTA 2, em configurações de baixo, médio e alto desempenho gráfico. O game de Lara Croft conseguiu alcançar 60 FPS em perfil médio, e com gráficos no máximo chegou a estáveis 30 FPS.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Reprodução/Valve)

Doom também não encontrou dificuldades, variando entre 46 e 60 FPS dependendo do perfil gráfico. O mesmo aconteceu com DOTA 2, capaz de alcançar entre 47 e 80 FPS. O que mais chama a atenção é o desempenho de Cyberpunk 2077: para além da capacidade de um hardware portátil rodá-lo, o Steam Deck segurou o jogo entre 20 e 30 quadros por segundo.

Sem superaquecimento

Durante os testes, o Steam Deck não superaqueceu: a temperatura máxima observada foi de 42,6º C, mostrando que a otimização térmica do dispositivo foi bem trabalhada. Mesmo o desempenho da bateria não decepcionou, com três horas de gameplay resultando em uma descarga de 54%. Em jogos menos exigentes é bastante provável que o videogame vá mais longe em autonomia.

Vale destacar que um dev kit passa por modificações para tornar a experiência do desenvolvedor melhor, mas não é esperado que essas unidades ofereçam hardware efetivamente superior. Assim, o desempenho averiguado por profissionais da indústria deve refletir o que os usuários deverão ter com a versão doméstica do Steam Deck.

Com uma tela de 7 polegadas LCD, com resolução de 1280 x 800 e 60 Hz, o dispositivo oferecerá um conjunto de chips que inclui processador de arquitetura AMD Zen 2, voltado a alto desempenho. Assim como uma GPU integrada e customizada para o RDNA 2.

Sua memória RAM trará 16 GB, no padrão LPDDR5. Assim como o Nintendo Switch, haverá uma dock, que quando utilizada permitirá ao usuário alcançar resolução Ultra HD 8K ou Ultra HD 4K a 120 Hz em uma televisão compatível.

Tanto hardware, claro, cobra seu preço: serão US$ 399 pelo modelo mais básico, com apenas 64 GB de armazenamento eMMC. Seguramente muitos jogos do mercado ocupam, sozinhos, mais que isso. Modelos com 256 GB e 512 GB com tecnologia de armazenamento rápido NVMe estarão disponíveis por preços de US$ 529 e US$ 649, devendo ser esses os modelos mais visados.

Fonte: Tom's Hardware

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.