O que é o AMD Lightning Bolt?

O que é o AMD Lightning Bolt?

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 23 de Maio de 2022 às 17h40
AMD

Em 2012, após o lançamento do Intel Thunderbolt, a AMD não deixou por menos e lançou o seu próprio padrão que, embora apresentasse menor velocidade, possuía um custo bem mais acessível. Conhecido como Lightning Bolt, a tecnologia era capaz de oferecer taxas de transferência ligeiramente inferiores às das portas USB 3.0, o que a tornava um padrão barato para conectar múltiplos monitores em laptops.

Ao contrário do produto concorrente da Intel, a AMD desenvolveu o Lightning Bolt para fazer uso da tecnologia Eyefinity em laptops, opção comum nas placas de vídeo da empresa do período que são capazes de suportar até 6 monitores por placa em desktops. O recurso se destacava por possibilitar a conexão de 4 monitores sem compressão do sinal de vídeo, algo que ainda não havia chegado ao Thunderbolt no período.

Rival do Thunderbolt da Intel, o AMD Lightning Bolt buscava entregar recursos de conectividade semelhantes, com destaque para o custo baixo e o suporte a múltiplos displays (Imagem: Reprodução/The Verge)

Uma das principais vantagens do Lightning Bolt era o seu baixo custo de implementação, acrescentando apenas US$ 1 aos gastos de produção de cada computador, ao contrário dos US$ 30 necessários para adicionar o suporte ao Thunderbolt.

Outro grande trunfo era o uso da interface DisplayPort 1.2, capaz de oferecer suporte a múltiplos monitores, aliada ao suporte ao protocolo USB 3.0, que fornecia uma velocidade de transmissão de dados muito maior ao USB 2.0, predominante em dispositivos da época.

O Thunderbolt da Intel acabou se tornando o padrão mais popular de conexão de alta velocidade para periféricos, e agora também está de certa forma presente em chips AMD através de certificação concedida a portas USB 4 (Imagem: Reprodução/Intel)

O Lightning Bolt acabou sendo abandonado com o tempo, dando margem para o crescimento do Thunderbolt, cuja terceira geração foi cedida pela Intel ao USB-IF, órgão responsável por regular os padrões USB.

A tecnologia foi então integrada ao USB 4, e chegou aos processadores AMD com a estreia da família Ryzen 6000, ainda que uma certificação emitida pela Intel seja requerida para que as portas entreguem máxima compatibilidade com o Thunderbolt.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.