CEO da AMD acredita que crise de GPU deve diminuir na segunda metade de 2022

CEO da AMD acredita que crise de GPU deve diminuir na segunda metade de 2022

Por Bruno Bertonzin | Editado por Wallace Moté | 29 de Setembro de 2021 às 07h53
Reprodução/WCCFtech

O mundo da tecnologia enfrenta uma grave crise no fornecimento de chips que já dura alguns meses e muitos analistas ainda acreditam que levará um tempo para o mercado global restabelecer a quantidade de oferta de acordo com a demanda. No entanto, alguns especialistas, como a CEO da AMD, Lisa Su, acreditam que haverá um certo alívio a partir do segundo semestre de 2022.

Em entrevista concedida a jornalistas do New York Times e CNBC, a executiva comentou sobre as razões que levaram à crise no fornecimento de placas gráficas e minimizou o possível impacto causado por mineradores de criptomoedas.

Para Su, o mercado sempre “enfrenta altos e baixos”, com a demanda que ultrapassa a oferta ou vice-versa, mas, dessa vez, o cenário parece diferente. A empresária acredita que a situação ainda deve perdurar pela primeira parte de 2022, com um baixo fornecimento dos componentes, mas deve haver um alívio a partir da segunda metade do ano.

A diretora executiva da AMD ainda comentou sobre quais são os vilões para esse cenário e destacou a pandemia do novo coronavírus como o principal. Segundo Su, “a pandemia levou a demanda [por GPU’s] a um um novo nível”, enquanto a mineração de criptomoedas — a qual ela chamou de “um espaço muito volátil” — não teve muito efeito no suprimento de placas gráficas da empresa.

(Imagem: Reprodução/AMD)

Com isso, Su acredita que sua empresa não deve focar, neste momento, na preocupação com o uso das placas gráficas da marca para a mineração, o que não chega a ser uma surpresa, já que a companhia já destacou, há algumas semanas, que não seguirá o caminho da Nvidia de criar limitações para mineração em suas GPUs, e também descartou que vai priorizar a criação de hardwares com essa finalidade em detrimento de chips para jogos.

“Estamos nos esforçando muito para conseguir mais produtos para os jogadores; Eu recebo tantos 'Querida Lisa, você pode me ajudar a obter uma placa de jogo?’. No final do dia, desenvolvemos para esses tipos de consumidores, e é aí que está o foco”, destacou Su.

Vale lembrar que, além da AMD, a Nvidia também acredita que a crise no fornecimento de GPUs deve ver um alívio na metade ou no fim de 2022, de acordo com uma análise levantada pela IDC.

Fonte: Techspot

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.