Conhecendo um pouco mais das APUs Richland e Kabini da AMD

Por Pedro Cipoli | 28 de Maio de 2013 às 13h10

Esta semana a AMD liberou as informações sobre a sua nova geração de APUs conhecidas como Kabini e Richland. Enquanto a primeira delas é voltada para dispositivos ultraportáteis, como ultrafinos, a segunda é uma atualização da atual geração de processadores acelerados da empresa, geração conhecida como Trinity. O que elas têm em comum? Ambas são equipadas com a série 8000 de placas de vídeo Radeon HD, geração atualizada da série 7000 que traz melhorias de arquitetura e consumo de energia, conhecida como Graphics Core Next (GCN) 2. Conhecer um pouco mais de cada uma delas.

Richland

Podemos considerar Richland como uma versão turbinada do Trinity, usando os mesmos núcleos Pilediver x86 de 32 nanômetros da geração anterior e o mesmo soquete FM2, mas traz algumas melhorias em sua arquitetura e núcleos de processamento gráfico mais fortes baseados no GCN 2. O objetivo da AMD é posicionar essa nova geração como alto desempenho, atendendo aos usuários que necessitam de boa performance em aplicações profissionais e games de última geração e não possuem uma boa placa de vídeo dedicada.

Richland Elite APU

Aqui no Canaltech recebemos o modelo A10-6800K, um quad-core que roda por padrão a 4,1 GHz e chega até 4,4 GHz em modo Turbo, além de ter o multiplicador de clock destravado para quem deseja realizar overclock. Integrado ao processador temos uma placa de vídeo Radeon HD 8670D, com 384 cores de processamento de fluxo rodando a 844 MHz, e tanto CPU quanto GPU compartilham a memória RAM, com um máximo de 32 GB DDR3 rodando a 1866 MHz. O Richland suporta nativamente o DirectX 11.1 e possui uma TDP de 100 watts nos modelos de quatro núcleos.

As especificações nos dizem que teremos bons resultados no 3DMark e outros benchmarks, e que o A10-6800K é capaz de rodar jogos de última geração desde que peguemos um pouco leve nos filtros dos games, mas só poderemos confirmar essa especulação quando terminarmos os testes que estamos fazendo neste momento. Eles serão publicadoa na pŕoxima semana.

Kabini

Na última quarta-feira (22/05) recebemos em primeira mão o modelo A6-5200 do Kabini integrado a uma placa-mãe ASRock soquete FT3, sendo uma versão desktop de dimensões bastante reduzidas e baixíssimo TDP de 25 watts, o que não impede o modelo de trazer 4 núcleos rodando a 2,0 GHz. Integrado ao processador temos uma Radeon HD 8400 com 128 cores de processamento de fluxo rodando a 600 MHz, e tanto CPU quanto GPU compartilham a memória RAM, que pode rodar até a 1600 MHz.

Kabini 1

O Kabini foi desenvolvido para equipar ultrafinos com o objetivo de consumir menos bateria ao mesmo tempo que oferece uma melhor performance gráfica do que a Intel com a sua HD 4000 da série Ivy Bridge. O modelo que recebemos é o mais avançado voltado para desktops, e os modelos de notebooks e ultrafinos terão TDPs ainda menores, de 6,8 até 9 watts. Eles são consideravelmente menores do que os 17 watts do Intel Core i5 e Core i3 de terceira geração.

Kabini 2

Podemos dizer que as especificações mostram que mesmo com TDPs baixas, o Kabini é capaz de oferecer uma excelente capacidade multitarefa e desempenho gráfico quando comparado com os ultrabooks atuais, e teremos a oportunidade de conferir se os resultados dos testes são compatíveis com as especificações quando publicarmos, na próxima semana, o review completo do modelo que recebemos. A AMD afirmou que essa geração apresenta o dobro de desempenho da atual Brazos 2.0, e teremos a oportunidade de conferir se essa informação é verdadeira.

Não foram liberados os preços de nenhum dos modelos até o fechamento desta nota, mas os rumores sugerem que ficarão dentro da média da atual geração.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.