CEO, CIO e integrador de tecnologia juntos em direção à transformação digital

Por Colaborador externo | 30 de Janeiro de 2017 às 13h15

Por Paulo Lebrão*

Com as constantes pressões para aumentar receitas, reduzir custos e melhorar processos, muitos CEOs buscam cada vez mais a digitalização para manter suas empresas competitivas ou diferenciá-las no mercado. Esses líderes estão entendendo que colocar a tecnologia em uma posição central pode ajudá-los a atingir seus objetivos de negócio.

A tendência para o futuro próximo é que a tecnologia impulsione mais o crescimento das empresas e promova mudanças nos seus segmentos de atuação. Segundo pesquisa do Gartner com cerca de 400 CEOs e altos executivos, apenas 7% dos entrevistados acreditam que o segmento no qual atuam permanecerá muito semelhante ao atual durante os próximos três anos. Enquanto isso, 84% acreditam que a mudança será moderada ou significativa e 9% acreditam que em três anos estarão operando em uma indústria quase irreconhecível comparada com a de hoje.

Nesse contexto, o CEO precisa aumentar a relevância da área de TI dentro dos negócios. A maioria desses executivos já percebeu que a transformação digital é inevitável e que é melhor atuarem como agentes de mudança do que serem atingidos por uma nova realidade em um futuro não muito distante, e não terem tempo para reagir.

Entretanto, essa não é uma tarefa fácil. O CEO precisa de um braço direito para ajudar a empresa a transformar-se e acompanhar o mundo digital - o CIO. Enquanto o CEO passa a priorizar a tecnologia como ferramenta fundamental para o crescimento da empresa, o CIO passa a exercer um lado mais consultivo, entendendo as demandas de negócio e contribuindo estrategicamente com novas soluções.

Esse alinhamento, no entanto, conta com um obstáculo. O grande desafio para o CIO e sua equipe é conseguir sair das demandas operacionais de tecnologia do dia a dia e estar mais próximo do CEO e do negócio. Entender os desafios da empresa e propor soluções inovadoras que agreguem valor ao negócio demanda tempo e conhecimento de novas tecnologias, passando por Cloud, IoT, Big Data, Segurança, Hiperconvergência, entre outras.

Em vista disso, é fundamental possuir parceiros de tecnologia que consigam cuidar das demandas operacionais do executivo de TI. Assim, o integrador pode ajudar em duas frentes. A primeira é assumir partes ou o todo da operação de TI com soluções e serviços proativos que melhoram processos e liberam a equipe para atuar em questões mais estratégicas. E a segunda maneira é apoiar o CIO na busca e montagem de soluções ideais que conduzam a organização à transformação digital. Não basta apenas oferecer um hardware ou um software, mas é essencial que o integrador consiga visualizar o que o negócio precisa e qual conjunto de tecnologia e serviços será melhor para cada segmento de mercado. Só assim o CIO conseguirá focar em uma visão mais abrangente dos negócios junto com o CEO.

*Paulo Lebrão, Diretor de Vendas da Dimension Data, multinacional focada em serviços e soluções de tecnologia da informação

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!