Sony diz que exclusivos vão piorar se chegarem à PS Plus no lançamento

Sony diz que exclusivos vão piorar se chegarem à PS Plus no lançamento

Por Felipe Goldenboy | Editado por Bruna Penilhas | 11 de Maio de 2022 às 12h40
Reprodução/Sony

A Sony afirmou que precisaria cortar gastos e diminuir a qualidade dos seus jogos AAA — ou seja, de grande orçamento, como God of War ou The Last of Us — se os incluísse na PlayStation Plus logo no dia do lançamento (day-one). Essa estratégia, porém, é utilizada pelo principal concorrente, o Xbox Game Pass.

A declaração foi dada nesta terça-feira (10) pelo diretor financeiro (CFO) da empresa, Hiroki Totoki, durante uma conferência com investidores. “Vou me abster de fazer comentários sobre a estratégia dos concorrentes”, disse o executivo, sem citar nominalmente o Game Pass.

Hiroki Totoki, diretor financeiro (CFO) da Sony, durante conferência com investidores na terça-feira (10) (Foto: Reprodução/Sony)

“Se distribuirmos títulos do tipo AAA do PlayStation 5 nos serviços de assinatura, poderemos precisar reduzir o investimento necessário e deteriorar a qualidade do título first-party [ou seja, jogos exclusivos para PlayStation]. Essa é a nossa preocupação”, ressaltou.

Ele ainda afirmou que “nosso pensamento atual é ter custos de desenvolvimento e investimento adequados em pesquisa e desenvolvimento para produtos de qualidade, e isso melhorará a plataforma e também o negócio a longo prazo”.

As declarações do executivo vão ao encontro do que Jim Ryan, CEO e presidente da Sony Interactive Entertainment, já disse em abril deste ano: “Os jogos que fazemos estão ficando maiores. [...] Colocar esses jogos em um serviço de assinatura imediatamente após seu lançamento quebraria esse círculo virtuoso e não poderíamos investir da maneira que podemos atualmente. Então, não estamos fazendo isso”.

Estratégia é diferente da utilizada pela Microsoft no Xbox Game Pass, que oferece jogos logo no day-one (Foto: Divulgação/Microsoft)

Durante a conferência, foi revelado também que a Sony pretende gastar mais 40 bilhões de ienes (R$ 1,5 bilhão, em conversão direta) em jogos exclusivos. Totoki afirmou que o objetivo da empresa, no futuro, será “fortalecer nosso software primário e implementá-lo em várias plataformas”. Embora não explique quais plataformas são essas, provavelmente ele está se referindo a PC e dispositivos móveis.

O serviço por assinatura PS Plus irá mudar em junho, oferecendo, nos planos mais caros, um catálogo de títulos para os usuários baixarem a vontade. Apesar de ser similar ao Xbox Game Pass, lançamentos não farão parte do pacote. Saiba tudo o que muda aqui.

Fonte: Eurogamer (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.