Beta de Call of Duty: Cold War traz apropriação de battle royale no multiplayer

Por Wagner Wakka | 21 de Outubro de 2020 às 10h12
Divulgação/Activision

O desenvolvimento de Call of Duty: Black Ops Cold War pode ter sido severamente afetado em 2020 por conta da COVID-19. A questão é que, com lançamento anual, os estúdios que revezam a franquia geralmente têm pouco tempo para fazer o título em condições normais de temperatura e pressão. Quem dirá, em meio a uma pandemia.

É por isso que testes beta, como os que aconteceram nos finais de semana dos dias 9 e 16 de outubro, são tão importantes. Corriqueiramente, eles são essenciais para multiplayer online exatamente para estressar servidores e garantir que tudo roda dentro dos conformes. Ou seja, é comum esperar falhas nestes testes.

Surpreende, e muito, que Call of Duty: Cold War, diante dos maiores problemas como uma pandemia, esteja ainda mais refinado que as últimas versões. Como esperado, o teste englobou apenas algumas modalidades do multiplayer e mapas disponíveis, com boas novidades em gameplay.

Battle royale fazendo escola

Desde o surgimento de PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG), o gênero battle royale tomou conta dos jogos de tiro em primeira pessoa. Não seria diferente com Call of Duty. O jogo tem o seu Warzone já, com foco estritamente no estilo. Contudo, pega emprestado algumas características do gênero também para o seu multiplyer competitivo. Isso é visível principalmente na movimentação.

Como o nome sugere, Cold War vai se passar no período da Guerra Fria, principalmente no embate principal entre Estados Unidos e União Soviética, buscando o controle de países como a Itália na Europa.

Por isso, o jogo permite algumas tecnologias mais avançadas, como aviões, tanques, caminhonetes e jet-skis. Uma das principais críticas na comparação de Call of Duty com Battlefront sempre foram os veículos, reconhecidamente mais dinâmicos neste último jogo.

Movimentação por veículos é um traço forte do novo jogo (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Em Cold War, contudo, isso pode mudar. Os veículos do jogo são bem fáceis de controlar, até mesmo se você está no mouse e teclado. A ideia é que você não os use apenas para transporte, mas tenha destreza suficiente para também conseguir atirar de cima deles. Tudo isso funciona muito bem nos gigantescos mapas do beta de Call of Duty. PUBG mostrou que ter veículos pelo mapa e saber diferenciar o posicionamento dos jogadores é algo importante para dar outra camada ao gameplay.

Outra característica dos battle royale é a entrada triunfal de paraquedas. Em grande parte dos modos de jogo disponíveis, o jogador tem a opção de pular de um avião pelo mapa, podendo cair em uma área de interesse. Contudo, isso significa um risco de cair e perder vida, ou até mesmo ficar vulnerável durante o pouso.

Queda de para-quedas típica de battle royales também está aqui (Foto: Wagner Wakka/Canaltech)

Por fim, o multiplayer de CoD: Cold War apresentado no beta traz mapas bastante amplos, principalmente no modo Dirty Bomb.

Pontos de interesse

Dirty Bomb é o principal novo modo que deve ser jogado entre 32 a 40 pessoas, divididos em quartetos. Este é o que mais pega emprestado elementos do battle royale.

Os jogadores caem em um grande mapa (no beta, havia duas opções) em que precisam basicamente coletar urânio para detonar bombas com compostos radioativos. Cada time ganha quando elimina adversários e, principalmente, se consegue realizar a ativação de tais bombas.

Como o mapa é gigantesco e abraça até 40 jogadores, há mais espaço para exploração: o jogador precisa abrir baús pelo mapa para coletar o urânio necessário para ativar as bombas. Caso você morra, todo esse material fica pelo chão.

Também por conta do tamanho do ambiente, o jogo precisa adicionar formas de fazer mais veloz a movimentação. Por exemplo, coloca motos e outros veículos que permitir a locomoção, além oferecer a opção de sempre cair do avião após uma morte.

O modo garante um bom misto de exploração com momentos de trocas de tiro ao criar pontos de interesse. Não é possível explodir as bombas em quaisquer lugares, mas em áreas específicas que precisam ser protegidas.

Isso tudo faz deste novo modo uma mistura bem interessante do que um battle royale oferece com um mecanismo mais fechado e rápido do multiplayer de Call of Duty.

Mapas a mais mapas

O beta também permitiu ter acesso a outros três modos principais de jogo: os já conhecidos Domination e Assalt; além do VIP Escout. Este último exige que um time de cinco pessoas acompanhe uma pessoa importante (que também pode atacar os inimigos) levando de um ponto A para três locais de extradição. Do outro lado, um time também de cinco pessoas precisa evitar que isso aconteça.

Contudo, para além dos modos de jogo, o mais interessante está nos mapas apresentados. Em especial, há o Moship, o qual basicamente vários navios atracados e interligados em alto-mar, pelo qual você precisa batalhar contra outro time.

Com uma verticalização interessante, ele permite ao jogador pular no mar e buscar bacos costeiros ou jet-skys para atacar os inimigos. Caso você esteja jogando o modo Domination, há áreas que precisam ser dominadas perto de boias em alto-mar. Ou seja, é preciso se expor para conseguir fazer o ponto.

Aprovado? 

Os testes beta mostram que o multiplayer de Call of Duty: Cold War está já bem refinado para o lançamento. Em relação a tempos de armas, ajustes de velocidades e o que precisa ser modificado em potência, sinceramente, não me vejo apto a julgar neste nível.

Nos testes do Canaltech, tanto ritmo quanto percepções gráficas e de movimentação estão em alto nível. Não houve problemas de queda de conexão, nem travamentos, o que seria completamente compreensível em se tratando de um período de testes.

Vale lembrar que não foi possível ter acesso ao modo single player do título, o que só será disponibilizado no lançamento do jogo.

Call of Duty: Black Ops Cold War será lançado em 13 de novembro para PlayStation 4, Xbox One e PC, além da nova geração tanto no PlayStation 5 quanto no Xbox Series X|S. No Canaltech, os testes foram realizados com a versão para PC, com acesso cedido pela Activision.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.