Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Os 5 MELHORES jogos que a Ubisoft já fez

Por| Editado por Jones Oliveira | 30 de Maio de 2020 às 16h00

Link copiado!

(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)
(Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech)
Tudo sobre Ubisoft

Todos estão sujeitos a erros, mas quando uma empresa do tamanho da Ubisoft acerta a mão, é difícil economizar nos elogios. A companhia francesa já está no mercado desde 1986 e é a quarta maior do mundo em valor de capital, já na marca dos bilhões e altamente cotada nas Bolsas de Valores de todo o mundo.

Mas mesmo diante de tantos bons jogos lançados, a Ubi, como é conhecida entre seus fãs, conseguiu se sobressair com obras que vão acima da sua própria média, estabelecendo muito mais que experiências diferenciadas e horas de divertimento, mas criando memórias.

Pensando nisso, o Canaltech resolveu listar os 5 melhores jogos de todos os tempos da Ubisoft.

Continua após a publicidade

5. Ghost Recon Wildlands

Uma das franquias mais respeitadas dos jogos de tiro e ação, Ghost Recon é parte da “tríplice coroa” da Ubisoft (as outras duas sendo Splinter Cell e Rainbow Six). No caso de Wildlands, que ambienta uma unidade secreta dos EUA em solo boliviano para combater um imenso cartel de drogas, essa capacidade foi elevada à décima potência.

Wildlands traz um mundo incrivelmente grande e expansivo, de fazer inveja a Grand Theft Auto, e uma jogabilidade que prioriza a progressão tática e a estratégia acima de qualquer heroísmo barato. Alie a isso uma capacidade multijogador de altíssimo nível, grandes conteúdos extras (boa parte deles gratuitos) e visuais e possibilidades de customização incomuns até a outros jogos do gênero, e temos aqui um representante da franquia Ghost Recon dos mais respeitados.

4. Far Cry 3

“Eu já contei a definição da insanidade?”. A frase dita por um dos personagens mais carismáticos de toda a franquia de jogos de tiro em primeira pessoa da Ubisoft é repetida em vários e vários vídeos promocionais da empresa. Não seria surpresa nenhuma se o CEO Yves Guillemot tivesse um busto de Vaas Montenegro em sua mesa.

Far Cry 3 tinha tudo para dar errado, com um protagonista a princípio entediante (moleque riquinho e privilegiado vai para Bangcoc para aprontar loucuras com o cartão de crédito do papai, mas acaba sequestrado por piratas traficantes de pessoas e drogas), mas a forma como o jovem Jason Brody se envolve com a trama, que passa por crimes internacionais e vai até tradições folclóricas inspiradas em mitologias caribenhas e celtas, faz deste jogo um imenso primor de jogabilidade, estratégia e visuais estonteantes.

Continua após a publicidade

3. Valiant Hearts

Você não adora quando riscos tomados dão certo? A Ubisoft deve amar, já que Valiant Hearts é ambientado na Primeira Guerra Mundial, mas com uma premissa que força a empatia no jogador. Explicando: ao invés de apostar no clichê “sou um supersoldado absorvente de balas que vai matar todo o exército inimigo”, aqui você encarna quatro personagens distintos, vendo os eventos de um dos maiores conflitos bélicos da história se desenrolar por pontos de vistas diferentes.

Não por menos, Valiant Hearts bebe da mesma fonte que inspirou outro clássico — Odin Sphere —, no sentido de que a mesma situação se desenvolve sob a ótica de cada personagem. A narrativa é maravilhosamente bem construída e o estilo artístico da divisão “Ubi Art” (a mesma de Child of Light) apenas engrandece esse jogo, que definitivamente merece uma atenção especial de qualquer colecionador.

Continua após a publicidade

2. Beyond Good & Evil

Tido por muitos como o “clássico dos clássicos” da Ubisoft, Beyong Good & Evil fez história na era do PlayStation 2, pegando carona no console mais vendido da história até hoje. Trazendo uma narrativa obscura e realista, o jogo protagonizado pela jovem Jade traz diversas reviravoltas em sua trama, acompanhado de gráficos que, ainda que não sejam do tipo mais impressionante, eram perfeitamente animados, com cada progressão tendo a cara de uma cena de corte de qualquer RPG.

Beyond Good & Evil acabou atingindo o status de clássico cult para jogadores das mais variadas preferências. Uma sequência direta anunciada formalmente em 2016 ainda segue em pré-produção, apesar de a Ubisoft não ter soltado mais nenhuma novidade desde então.

Continua após a publicidade

1. Assassin's Creed II

A longeva franquia que retrata a luta entre Templários e Assassinos tinha tudo para dar errado. O primeiro jogo, lançado em 2007, não foi bem recebido e foi duramente criticado pela repetitividade de suas missões. Felizmente, apenas dois anos depois, ela foi resgatada por Assassin's Creed II. O jogo não só introduziu Ezio Auditore da Firenze, o personagem mais icônico da saga, como também trouxe missões mais diversificadas e maior imersão histórica.

O enredo conta uma história de vingança muito bem amarrada na Itália do século V que além de ser muito bem modelada, passa a sensação de grandiosidade que Assassin's Creed tentou passar, mas falhou. O jogo também evoluiu em termos de jogabilidade, exigindo estratégia e entendimento para solucionar as missões de formas criativas e bem menos repetitivas que o antecessor. Quanto aos combates, Ezio ganhou um arsenal maior e novas animações de finalização dos inimigos.

Embora a franquia tenha jogos muito mais grandiosos, Assassin's Creed II foi o que apresentou o maior salto de qualidade em relação ao seu antecessor, efetivamente dando início à maior franquia já criada pela Ubisoft em todos os tempos.

Continua após a publicidade

O que faltou?

Naturalmente, cinco jogos para compor uma lista não faz justiça aos sucessos da Ubisoft. É claro que muitos outros títulos poderiam estar aqui, então passamos o croissant para você, leitor: quais foram os melhores jogos já produzidos pela Ubisoft e por quê? Conte-nos a sua opinião nos comentários abaixo!