Co-líder da Blizzard pede demissão após 3 meses no cargo

Co-líder da Blizzard pede demissão após 3 meses no cargo

Por Felipe Goldenboy | Editado por Bruna Penilhas | 03 de Novembro de 2021 às 19h21
Divulgação/Activision Blizzard

Jen Oneal, co-líder da Blizzard Entertainment ao lado de Mike Ybarra desde agosto deste ano, pediu demissão da empresa. A executiva permanecerá no estúdio até o fim de 2021; depois, a liderança ficará sob responsabilidade apenas de Ybarra.

O anúncio foi feito através do site oficial do estúdio. Em um texto, Jen afirmou que não está saindo porque não tem “esperança para a Blizzard, muito pelo contrário”. “Sou inspirada pela paixão de todos aqui, que estão trabalhando com todo o coração para uma mudança significativa e duradoura”, disse.

"Essa energia me inspirou a sair e a explorar como posso fazer mais para que jogos e diversidade se cruzem e, com sorte, ter um impacto mais amplo na indústria, que beneficiará a Blizzard (e outros estúdios) também. Embora não tenha certeza de que maneira isso acontecerá, estou animada para embarcar em uma nova jornada e descobrir.”

Foto e descrição de Jen já foram deletadas da página de lideranças da Blizzard (Foto: Divulgação/Activision Blizzard)

Jen e Ybarra assumiram a liderança da Blizzard após o então presidente, J. Allen Brack, ter deixado o cargo “para buscar novas oportunidades”. Nesta época, a empresa vivia um período ainda mais conturbado, em que era alvo de denúncias e investigações por assédio sexual, remuneração desigual e retaliações.

Até o fim do ano, Jen repassará suas funções a Mike Ybarra. “Acredito fortemente em Mike e no restante da liderança da Blizzard, tanto em termos da cultura quanto dos jogos. Os melhores dias da Blizzard estão por vir. Eu realmente acredito nisso”, escreveu.

Mike Ybarra será o único líder da Blizzard Entertainment (Foto: Divulgação/Activision Blizzard)

Jen também revelou que a ABK (Activision Blizzard King) doará US$ 1 milhão para a organização sem fins lucrativos Women in Games International (Mulheres nos Jogos Internacional, em tradução livre), da qual faz parte do conselho. A ONG “cultiva e promove a igualdade e a diversidade na indústria global de jogos”, explicou a executiva. “Esse dinheiro será usado para financiar programas de desenvolvimento de habilidades e programas de mentoria”, assegurou.

“Também espero que esta carta ajude você a pensar sobre o que você pode fazer para que todos ao seu redor — não importa o gênero, raça ou identidade deles — se sintam bem-vindos, confortáveis ​​e livres para serem eles mesmos."

Fonte: Activision Blizzard (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.