Após perder anunciantes no YouTube, PewDiePie lança canal no Twitch

Por Redação | 11 de Abril de 2017 às 15h56
photo_camera Divulgação

O dono do canal mais popular do YouTube vai atuar na concorrência. Felix Kjellberg, mais conhecido como PewDiePie, lançou no último domingo (9) um portal no Twitch, site de streaming de partidas e podcasts sobre jogos de videogame.

Batizado de Best Club, o programa é uma espécie de talk-show feito na casa do próprio youtuber. Quem já viu algum vídeo do rapaz sabe que suas transmissões são divertidas, mas um tanto exageradas. Logo, a nova atração na plataforma da Amazon deve conter o mesmo tipo de linguagem que os vídeos do jovem no YouTube. O programa vai ao ar todos os domingos, ao meio-dia, pelo horário de Brasília.

De acordo com Kjellberg, sua ideia de investir em um canal no Twitch já tinha bastante tempo, mas se tornou necessária depois de ter perdido vários anunciantes em sua conta no site do Google. No início deste ano, essas empresas promoveram um boicote após alguns comerciais terem sido apresentados junto a vídeos racistas produzidos pelo canal de PewDiePie. Em um dos clipes, dois homens contratados apareciam segurando uma placa com a mensagem "morte a todos os judeus"; em outro, um homem vestido como Jesus Cristo dizia que "Hitler não fez absolutamente nada de errado".

Entre as companhias que cortaram relações com o youtuber está a Disney, dona da produtora Maker Studios, e o próprio Google, que cancelou a segunda temporada de Scare PewDiePie, programa exclusivo do youtuber no serviço de streaming pago YouTube Red. Ele também teve o canal removido do Google Preferred, plataforma de anúncios premium que serve para divulgar conteúdo dentro do YouTube.

Na época, Kjellberg reconheceu que foi longe demais com as brincadeiras, mas se defendeu ao dizer que o conteúdo exibido em seu canal é para um público que já o acompanha - e que, por este motivo, justificava a permanência desses vídeos no site. "De forma alguma estou apoiando qualquer tipo de atitude odiosa. Penso no meu conteúdo como entretenimento, e não em um lugar para comentários políticos sérios. Minha audiência entende e por isso eles vêm para o meu canal. No final das contas, entendo que essas piadas foram ofensivas", afirmou.

Por conta desses episódios, era natural que Kjellberg buscasse outras formas para aumentar seus lucros e conquistar usuários em outros serviços - no YouTube, por exemplo, ele tem 54,6 milhões de assinantes. Até o fechamento desta notícia, o canal de PewDiePiew no Twitch já conta com mais de 92 mil seguidores.

Fonte: Engadget