Roku OS vs Fire OS | Qual sistema é o mais completo?

Roku OS vs Fire OS | Qual sistema é o mais completo?

Por Jucyber | Editado por Léo Müller | 06 de Setembro de 2021 às 13h00
Eric Mockaitis/Canaltech

Escolher entre o Roku OS e o Fire OS da não é uma tarefa fácil, principalmente por estarem presentes em dispositivos com ótimo custo-benefício, tais como o Roku Express e a linha Amazon Fire TV Stick.

Por isso, existem características similares que permitem uma competitividade bem interessante entre eles. Em contrapartida, alguns diferenciais possibilitam que a escolha varie de acordo com as expectativas na experiência de uso diária.

Roku OS: versátil com bom custo-benefício

Desde que o Roku Express chegou ao Brasil, o público passou a ter mais uma alternativa de dispositivo para consumo de streaming na televisão. Porém, o sistema desse aparelho — o Roku OS— tem um diferencial importante dos demais comercializados no país: ele também está presente em televisões.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Existem um número — ainda limitado — de smartTVs da Philco e AOC que utilizam o software da Roku. Na prática, isso permite que os usuários tenham uma navegabilidade simples e intuitiva ao utilizar o televisor.

Essa versatilidade, que é aproveitada pelo público nos Estados Unidos há 10 anos, ajudou a consagrar o Roku OS como o 4º sistema operacional mais utilizado em televisões. Até o momento, ele fica atrás do Tizen, WebOS e Android TV.

No Brasil, é possível experimentar o sistema em algumas TVs, como a Philco PTV50RCG70BL — que foi analisada no nosso canal — e a AOC 43S5195/78G, que possuem como destaque o custo-benefício.

Em relação ao Roku OS, a empresa fez o sistema para que o usuário sempre encontre os recursos necessários diretamente na tela inicial. Isso porque a interface é dividida em duas colunas. Na esquerda estão todos os menus de configuração, e na direita são exibidos os aplicativos.

Dessa forma, a empresa garante que a adaptação será rápida. Essa é uma das maiores vantagens do software do Roku, pois dispensa o acesso em diversos menus com a categoria de cada app para encontrar a opção desejada.

Algo interessante na tela inicial é a opção de personalização, em que os aplicativos da grade podem ser organizados de acordo com o uso diário. Na prática, o Roku OS fica ainda mais intuitivo para quem gosta de ligar a televisão e já encontrar o app favorito sem muita pesquisa.

E por falar no sistema de buscas dele permite que os títulos sejam apresentados com a indicação das plataformas que os hospedam. Por exemplo, a série Grey’s Anatomy está em diversos serviços populares, como Globoplay, Prime Video e Netflix, e, em sua descrição, aparece essa disponibilidade.

Essa funcionalidade de pesquisa avançada também é válida para filmes e documentários. No dia a dia, esse recurso é muito importante para garantir que o usuário encontre o que precisa sem precisar entrar em cada app para tal.

Quando o assunto é compatibilidade, o Roku OS é um dos sistemas mais completos do mercado brasileiro. Ele permite que o usuário instale diversos serviços de streaming e está sempre recebendo atualizações para garantir o acesso a qualquer plataforma que seja lançada. Entre as opções de aplicativos, estão:

Uma característica que destaca o Roku OS é a sincronização com o aplicativo da empresa. Ao realizar o acesso no app, é possível acessar algumas opções adicionais, e isso dá ao sistema um diferencial que ainda não possui um concorrente compatível nesse sentido.

Quando a conexão é feita para uso no Roku Express, existe a possibilidade de usar o aplicativo para controlar a navegação no dispositivo, adicionar novas plataformas de maneira simultânea, e até mesmo ouvir o conteúdo reproduzido na TV por fones de ouvido.

Roku Express (Imagem: Ivo/Canaltech)

Mesmo com esse aspecto mais focado em consumidores de conteúdos on demand, a versão do Roku OS para televisores traz um aplicativo específico para quem desejar acessar aos canais da TV aberta, demonstrando que uma smartTV com esse software não terá limitações no uso.

Outra opção presente no utilitário é o acesso à loja da Roku com o intuito de baixar novos apps de maneira prática e sem sair do sofá.

Fire OS: a presença da Alexa é o grande diferencial

Disponível nos aparelhos Fire TV Stick Lite, TV Stick e TV Stick 4K, o Fire OS é o sistema operacional desenvolvido pela Amazon para os dispositivos de streaming fabricados e comercializados pela gigante do varejo.

A navegação nesse software é mais próxima da experiência de um aplicativo de entretenimento, contrariando a versatilidade do Roku OS, que é mais adaptável a diferentes tipos de usuários.

O sistema da Amazon tem alguns jogos, como Asphalt 9. Todavia, é melhor evitar usar o dispositivo Fire TV Stick com esse propósito, pois os games não são otimizados. A qualidade gráfica fica aquém do esperado.

O Fire OS recebeu sua sétima versão em 2021, e as modificações fitas pela Amazon permitiram uma adaptação maior ao comportamento de consumo de cada usuário.

Dessa forma, as recomendações de conteúdos presentes em serviços da empresa diminuíram e a interface se tornou mais neutra e adaptativa.

Um exemplo desse funcionamento está relacionado com as plataformas de filmes e séries, pois o sistema começa a sugerir conteúdos com base no gênero que mais interessa ao usuário.

Além disso, é possível encontrar informações sobre os atores desses conteúdos em qualquer serviço streaming que esteja em uso, seja Disney+, Prime Video, Netflix ou outro semelhante.

No que diz respeito aos aplicativos compatíveis, o Fire OS possui uma lista extensa de plataformas de filmes, séries, músicas e lives que podem ser utilizadas no sistema. Esses são alguns exemplos de serviços que podem ser utilizados no sistema da Amazon:

  • Netflix;
  • YouTube;
  • Prime Video;
  • Disney+;
  • Apple TV+;
  • Vivo Play;
  • Telecine;
  • Twitch;
  • Spotify;
  • Deezer;

Entretanto, algumas opções muito populares não estão originalmente instaladas no Fire OS, como HBO Max e Globoplay. A Amazon ainda não deu uma previsão de quando pretende disponibilizar esses serviços.

Porém, existem alguns usuários que não esperam um posicionamento oficial da empresa e realizam a instalação por conta própria. Mesmo que o processo seja simples, é uma alteração no software e pode influenciar no desempenho da interface a longo prazo.

Amazon Fire TV Stick (Imagem: Ivo/Canaltech)

O grande diferencial do Fire OS é a compatibilidade com a assistente pessoal da Amazon — Alexa —, que amplia o leque de funcionalidade do sistema. Isso porque a inteligência artificial dá acesso ao controle de várias opções dentro da linha Fire TV Stick.

Seja para a pesquisa de títulos de filmes, séries ou vídeos no YouTube, ou para saber informações específicas da meteorologia, tarefas agendadas, é notório que a Alexa se integra bem ao software.

E para melhorar a usabilidade, qualquer equipamento que é compatível com a assistente pessoal pode ser acionado por meio de comandos de voz executados com o controle remoto da linha Fire TV Stick.

Essa função se torna ainda mais interessante para usuários que possuem rotinas personalizadas para serem executadas pela Alexa, pois o Fire OS entra como um complemento para a criação de um ecossistema inteligente e intuitivo.

Roku OS vs Fire OS: qual escolher?

Considerando o conjunto geral, seja pela experiência de uso no consumo de plataformas de streaming ou pela presença de uma assistente pessoal, o Fire OS é a melhor sistema operacional.

O fato de os equipamentos que trazem essa opção de software serem comercializados com um preço atrativo, permite que a interface da Amazon se torne mais interessante.

Entretanto, é preciso ter paciência para lidar com a “curva de aprendizagem”, pois existem diversos menus e configurações que podem ser feitas para deixar a experiência mais completa.

A linha Fire TV Stick é comercializada no Brasil com o ssitema Fire OS (Imagem: Ivo/Canaltech)

Além disso, os dongles compatíveis com o Fire OS são a única maneira do usuário ter acesso a esse sistema personalizado de entretenimento, já que não existe a opção de sincronizar com uma versão mobile.

Em contrapartida, o Roku OS é mais fácil de usar e versátil por ter opção via Roku Express, smartTVs compatíveis e celular. Dessa maneira o usuário utiliza o equipamento que for mais confortável, mesmo que tenha limitações visuais para quem gosta de uma interface mais chamativa.

Com a presença dos aplicativos Globoplay e HBO Max, o Roku OS é a melhor alternativa para quem é ou tem interesse em ser assinante desses dois serviços de entretenimento.

Sendo assim, a escolha varia de acordo com o gosto pessoal de cada um, mesmo que a opção de ter a Alexa como uma auxiliar na construção do ecossistema de uma casa inteligente seja o mais interessante.

Quer comprar algum aparelho com Roku OS ou Fire OS? Confira algumas opções:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.