Hoverboards seguem apresentando problemas e causando incêndios

Por Redação | 08.01.2016 às 09:05

Vindos diretamente dos filmes de ficção científica, os hoverboards já são uma realidade e os queridinhos de muitos entusiastas da tecnologia. O problema é que o veículo utilizado por Marty McFly em De Volta para o Futuro II não é lá tão seguro quanto parece - e não estamos falando dos tombos que eventualmente os desequilibrados estão tomando por aí.

Relatos desta quarta-feira (06) dão conta de mais dois incêndios provocados por mal funcionamento de hoverboards no estado norte-americano da Califórnia e na Austrália. Nos Estados Unidos, bombeiros relataram que o veículo estava carregando quando, repentinamente entrou em chamas e deu início a tragédia. Já na longínqua Oceania, o aparelho tinha acabado de ser colocado para carregar quando detectores de fumaça alertaram que algo estava errado; rapidamente a residência foi tomada pelo fogo e o prejuízo para a família (que não tinha seguro) foi de US$ 350 mil. Por sorte, ninguém saiu ferido.

Australiano Ash Ibraheim lamenta o ocorrido no quarto da filha destruído pelo incêndio. Fogo teve início após hoverboard permanecer 13 minutos conectado à tomada para carregar.

Australiano Ash Ibraheim lamenta o ocorrido no quarto da filha destruído pelo incêndio. Fogo teve início após hoverboard permanecer 13 minutos conectado à tomada para carregar (Imagem: Reprodução / Sydney Morning Herald)

O número de relatos como esse só vem aumentando nos últimos meses à medida que cada vez mais empresas lançam hoverboards. O problema é que toda essa popularização traz para o mercado aparelhos de qualidade duvidosa fabricados por empresas obscuras que jamais ouvimos falar. Como a economia não está lá tão boa em nenhum lugar do mundo, as pessoas acabam optando por adquirir aquilo que "cabe no bolso" ao invés de atentar para marcas que atendem aos requisitos mínimos de segurança e qualidade.

Essa preocupação, inclusive, já havia sido manifestada por várias empresas que pouco têm a ver com esses produtos. Foi o caso, por exemplo, de algumas empresas aéreas nos EUA que agora se negam a transportar o equipamento com receio que ele cause algum desastre. A gigante norte-americana do varejo Amazon também suspendeu as vendas dos hoverboards após o surgimento dos primeiros relatos de explosões.

Embora ainda não haja um número exato de acidentes causados por hoverboards, um estudo realizado no Reino Unido constatou que cerca de 90% dos 17 mil aparelhos vendidos no país apresentaram algum problema em testes de segurança. Portanto, se você está pensando em adquirir uma dessas belezinhas, é bom ficar atento e pesquisar bastante para a brincadeira não acabar em tragédia.

Fonte: LA Times, Sydney Morning Herald via Digital Trends