Google não deve mais atualizar o Chromecast original

Por Rafael Arbulu | 27 de Agosto de 2019 às 13h14

Foi em meados de 2013 que a Google introduziu ao mercado multimídia o Chromecast, que nos permitiu reproduzir filmes e outros arquivos de mídia de forma barata e simplificada em televisores convencionais. Desde então, a empresa lançou quatro novas iterações do aparelho, sendo duas versões novas completas (2015 e 2018), além de Chromecast Ultra, com suporte à resolução 4K; e o Chromecast Audio, voltado à mídia sonora. Depois de tanto tempo no mercado, porém, parece que o dispositivo que começou tudo, o Chromecast original, está deixando de ter suporte majoritário da empresa.

O site 9to5Google buscou informações do Chromecast na página oficial de suporte do aparelho e, averiguando as atuais versões de sistema, percebeu que o firmware do Chromecast original (1.36.157768) está várias versões atrás dos aparelhos mais recentes (1.40.156414). Isso para as versões estáveis, haja vista que o programa de betas (Preview Program) segue essa mesma linha.

Questionando a Google sobre essa distinção, o site recebeu a seguinte resposta: “O Chromecast celebrou recentemente o seu sexto aniversário. Estamos empolgados em saber que alguns de nossos primeiros consumidores ainda tiram proveito do dispositivo da primeira geração, e continuaremos atualizando-o com correções de bug e segurança”.

O primeiro Chromecast, lançado em 2013: a Google não confirma (nem nega), mas fortes indícios apontam que o aparelho deixará de ter suporte majoritário da empresa

Embora a empresa não tenha dito isso expressamente, a conclusão a que se chega é a de que novas funções e recursos introduzidos nos Chromecast mais recentes não devem figurar na primeira versão do dispositivo, praticamente confirmando que a Google está, aos poucos, abandonando o suporte a ele.

Explicando tecnicamente: por meio da ferramenta WhatsMyBrowser.com, podemos perceber que o firmware iniciado por “1.36” utiliza como base o Chrome 70, ao passo que o firmware marcado por “1.40” — quatro versões acima — é baseado na versão 74 do navegador.

E isso é um detalhe importante: todo o funcionamento de reprodução de mídia do Chromecast pode se resumido a, basicamente, acessar via Google Chrome a página que fará o streaming daquilo que você deseja assistir/ouvir. Ao manter, deliberadamente, a versão de navegador mais antiga no primeiro aparelho, a Google sinaliza o fim do suporte a ele. “Corrigir bugs” e questões de segurança é uma forma de dizer que a empresa vai assegurar, por exemplo, que hackers não se aproveitem de uma versão antiga para provocar ataques e invasões, mas não muito além disso.

A questão é que, para cada atualização do Chrome dentro do Chromecast, é necessária uma atualização também do firmware do aparelho. Pelo que a página de suporte indica, a ausência de atualização no primeiro Chromecast mostra que o aparelho está chegando ao seu fim.

Salvo pela resposta postada alguns parágrafos acima, a Google não ofereceu nenhum novo comentário sobre a situação.

Fonte: 9to5Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.