Análise: Seagate Wireless 500 GB

Por Pedro Cipoli
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

Discos rígidos externos não são novidade para ninguém, e a grande disponibilidade de modelos, capacidades e formatos fez com que o preço caísse bastante com o passar dos anos. Isso fez com que os grandes players do segmento de armazenamento criassem uma nova categoria de produtos, ainda relativamente nova no Brasil, de modelos wireless, como o Seagate Wireless de 500 GB que vamos conhecer agora.

Em muitos quesitos, ele traz muitas semelhanças com o Seagate Wireless Plus e o GoFlex Sattelite, ambos já analisados aqui no Canaltech, mas agora com um diferencial importantíssimo. Em ambos os modelos, criticamos o fato de o usuário perder a conexão com a internet ao acessar o drive wireless, já que a conexão é feita de forma direta, sendo uma alternativa para quem não se importa em ficar offline para acessar seus arquivos.

Aqui esse problema foi resolvido. Basta o usuário se conectar ao Seagate Wireless e estar na rede local para ficar conectado a ambos, isso sem exigir lá grandes configurações, já que basta habilitar essa função no app Seagate Media (disponível para iOS e Android). Útil para notebooks e smartphones e essencial para tablets, já que muitos dos modelos não contam com conexão de dados 3G ou 4G, permanecendo offline ao acessar o Wireless Plus e o GoFlex Satellite.

Outra mudança “visível” é na construção. A Seagate fez um excelente trabalho remodelando o design do Seagate Wireless nessa versão, tornando-o mais ergonômico e mais apropriado para jogar dentro da mochila, trazendo claramente uma resistência mecânica maior, fugindo do formato padrão de HD externo utilizado até então, além de trazer várias opções de cores: preta, branca, vermelha e rosa. Há problemas que observamos com essa mudança na construção, infelizmente.

O primeiro deles é que ele esquenta mais do que deveria. Mesmo com tarefas leves de leitura/escrita, o calor gerado é perceptível, o que se se torna um problema adicional se pensarmos que ele vem com uma bateria, e baterias odeiam o calor. O segundo é que é possível utilizá-lo com fios, mas a conexão embarcada é do tipo USB 2.0 e não USB 3.0. Isso limita as taxas de transferência a cerca de 30 MB/s.

Não entendemos o motivo, já que há espaço de sobra para uma porta USB 3.0, e praticamente qualquer disco externo vendido atualmente já vem com essa conexão. É difícil se readaptar ao USB 2.0 quando nos acostumamos às velocidades do USB 3.0, que chegam a 110 MB/s, em especial para transferir arquivos grandes, como filmes. O ponto positivo que vimos aqui é que o carregamento é feito via USB, e não por um conector proprietário.

O desempenho via rede sem fios é basicamente o mesmo do Wireless Plus e do GoFlex, mais limitado pelo tipo de conexão propriamente dito. Fizemos os nossos testes no padrão N (até 54 Mbps), conseguimos uma taxa estável de 5 MB/s, mais do que o suficiente para aguentar a maioria dos filmes e músicas.

Recebemos o modelo de 500 GB (acreditamos que seja o único que veio para o Brasil), e embora pareça pouco espaço, já que discos com 1 TB já são bastante comuns, temos que lembrar o propósito do Seagate Wireless: expandir a capacidade de dados para o usuário móvel. Smartphones e tablets trazem 16 GB ou 32 GB de armazenamento interno (mesmo os modelos mais avançados trazem 128 GB), então 500 GB para filmes e música é para lá de bem-vindo.

Um dos testes que realizamos foi durante uma viagem de avião, onde conseguimos assistir a 3 filmes em um iPad sem precisar recarregar a bateria, sem lags ou problemas de conexão. Não conseguimos ver a capacidade de bateria do Seagate Wireless pois o case é selado, mas em nossos testes ela durou cerca de 9 horas de uso ao transferir filmes via streaming, o que é um resultado e tanto.

Gostamos do Seagate Media, que dá uma visão rápida de quantos GB estão sobrando, habilita proteção por senha e tem um visual bacana. O que não gostamos, tanto no app quanto ao acessar via rede ao estilo NAS, foi da organização dos arquivos, bem desorganizada quando há muitos vídeos e filmes disponíveis, em especial em telas diminutas como a de smartphones, que forçam o usuário a navegar por um bom tempo até achar o arquivo desejado. No final das contas, é melhor contar com a organização de pastas criada durante a transferência.

Conclusão

Encontramos o Seagate Wireless à venda com uma média de preços de R$ 850, o que significa um alto custo por gigabyte, mas que faz um pouco mais de sentido se considerarmos a conectividade sem fios. A grande novidade aqui fica por conta da possibilidade de permanecer online mesmo quando conectado a ele, nossa principal crítica dos modelos que testamos até então, e do design diferenciado, já que praticamente qualquer modelo Wi-Fi à venda se parece com um disco convencional.

Entretanto, o público-alvo é ainda restrito a pessoas que precisam de uma boa quantidade de dados à mão em qualquer lugar. Ele é o companheiro ideal para quem costuma trabalhar em tablets com teclado embutido, por exemplo, ou quem não leva o notebook para viagens e pretende assistir a filmes de maneira offline. Se esse é o seu objetivo, o Seagate Wireless é um produto para você, desde que você esteja disposto a encarar o preço.

Vantagens

  • Design diferenciado;
  • É possível continuar online quando conectado a ele.

Desvantagens

  • Alto custo por gigabyte;
  • Conexão USB 2.0.
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.