Empresa de robôs domésticos quer mapear casas e vender dados para empresas

Por Redação | 25 de Julho de 2017 às 11h43

Os robôs de limpeza estão presentes nas residências de muitas pessoas há alguns anos e todos sabem que, de certo modo, eles podem ter suas privacidades violadas, já que estas soluções tecnológicas podem nos monitorar 24 horas por dia. A inovação tem feito com que estas pequenas máquinas mapeiem sua casa, aprendam com seus moradores e funcionem de maneira completamente autônoma. Aproveitando essas possibilidades, a iRobot, fabricante de robôs domésticos de limpeza, como o Roombas, tem planos de comercializar os dados coletados dentro das casas do usuários.

De acordo com Colin Angle, CEO da iRobot, a companhia deve chegar em breve a um acordo com empresas como a Amazon, Apple e Google para disponibilizar as informações mapeadas e coletadas pelos seus robôs. "Há todo um ecossistema de coisas e serviços que as casas inteligentes podem entregar quando se tem um mapa rico da casa que o usuário permitiu que seja compartilhado", explicou Angle.

Segundo a empresa, a intenção é coletar informações, como a distância entre móveis e o tamanho da casa, e compartilhá-las com assistentes digitais de empresas de tecnologia. Estes dados podem ajudar as companhias a desenvolverem serviços que possam melhorar a experiência doméstica dos usuários, bem como aprimorar ferramentas e recursos da Internet das Coisas e de casa conectadas.

A questão delicada, porém, fica por conta da privacidade. Dentro da política de privacidade do Roombas existe uma cláusula que permite vender as informações coletadas pelos robôs, afirmando que a empresa pode "compartilhar suas informações pessoais com terceiros em relação a qualquer transação da companhia, como uma fusão, venda da totalidade ou uma parte dos ativos, reorganização, financiamento", etc. Assim, fica difícil para os usuários conseguirem saber exatamente onde seus dados estão sendo levados e para quem estão sendo distribuídos.

No caso da iRobot, a dúvida quanto a utilização dos dados é quanto a possibilidade da empresa ter liberdade total para comercializá-los ou se somente empresas interessadas em adquirir parte da iRobot poderão tem acesso às informações. É importante lembrar também que a empresa pode atualizar sua política de privacidade a qualquer momento enquanto se prepara para embarcar neste novo tipo de negócio.

Fonte: El Confidencial

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.