Voyager 2 retoma operações científicas e segue explorando o espaço interestelar

Por Patrícia Gnipper | 04 de Março de 2020 às 17h30
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

No final de janeiro, a sonda Voyager 2 passou por problemas e teve suas operações interrompidas. Alguns dias depois, a NASA revelou que já tinha conseguido "reviver" seus instrumentos, mas a coleta de dados ainda não havia sido retomada. Agora, a agência espacial anuncia que, felizmente, os estudos científicos da sonda voltaram ao normal.

"Os cinco instrumentos científicos operacionais, que foram desativados pela rotina de proteção de falhas da sonda, estão de volta e retornando dados científicos normais", disse a agência em comunicado oficial. No Twitter, a equipe por trás da longeva missão comemorou a notícia, dizendo que "está tudo bem agora".

Lançada em 1977, a Voyager 2 está a cerca de 18,5 bilhões de quilômetros de distância e, desde que passou da heliosfera, tornou-se a segunda nave construída pelo Homem a explorar o espaço interestelar — ao lado de sua "irmã" Voyager 1, lançada no mesmo ano.

A anomalia sofrida pela Voyager 2 aconteceu quando ela tentou fazer um giro de 360º para calibrar seu instrumento de campo magnético, A falha fez com que dois de seus sistemas, que consomem muita energia, acabassem operando ao mesmo tempo, e isso fez com que a nave extrapolasse sua fonte de energia disponível. Então uma rotina automática de proteção contra falhas foi acionada, desligando os instrumentos científicos da sonda para compensar o déficit de energia — impedindo, assim, que ela "morresse" de uma vez por todas, interrompendo uma missão que já dura mais de 40 anos.

A NASA se viu em meio a um desafio e tanto para recuperá-la, pois qualquer comunicação com a sonda leva 17 horas para ser recebida por ela, e outras 17 horas para retornar à Terra, dada a imensa distância em que ela se encontra. Ou seja: os engenheiros da missão acabam esperando cerca de 34 horas para descobrir se seus comandos tiveram o efeito esperado.

Mas deu tudo certo e, passado o susto, a Voyager 2 continua coletando e nos enviando dados preciosos sobre os limites do Sistema Solar. Na verdade, apesar de estar oficialmente em espaço interestelar, a sonda ainda não saiu oficialmente do Sistema Solar, pois esse limite fica além da borda externa da Nuvem de Oort, onde ainda existe uma coleção de pequenos objetos sob influência da gravidade do Sol. E essa nuvem é imensa: estima-se que levará cerca de 300 anos para que a Voyager 2 alcance a borda interna da região, possivelmente levando 30 mil anos para sair totalmente dela — aí sim dando adeus ao Sistema Solar de uma vez por todas.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.