Vídeo mostra sonda japonesa saltando no asteroide Ryugu ao coletar amostras

Por Daniele Cavalcante | 08 de Maio de 2020 às 16h21
JAXA

A espaçonave japonesa Hayabusa2 pegou amostras da superfície do asteroide Ryugu duas vezes - a primeira em fevereiro de 2019 e a segunda em julho. Agora, um novo estudo publicado pela equipe da missão detalha o que a sonda “viu” no local quando desceu à superfície da rocha - e disponibilizou um vídeo do momento de captura da amostra.

Quando a sonda tocou a superfície do Ryugu, disparou um pequeno projétil para arrancar alguns detritos da rocha. Então, deu um pequeno pulo sobre a superfície, apenas o suficiente para pegar as amostras, e voltou à sua órbita. Essas amostras chegarão à Terra ainda este ano. Até lá, os cientistas estão analisando os dados que a sonda registrou durante a manobra.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Com pouco menos de um quilômetro de diâmetro, Ryugu tem uma forma semelhante à de um diamante. De perto, parece uma pilha de entulho - afinal, ele é formado em grande parte a partir de fragmentos de um objeto que foi destruído por impactos cósmicos. Mas existem alguns padrões de cores interessantes nessa confusão: sua superfície é uma mistura de material escuro com reflexos levemente avermelhados ou azulados.

O azul é predominante nos polos e no equador, enquanto o vermelho domina as regiões de latitude média. Os pedregulhos são principalmente azulados, com manchas avermelhadas na superfície. E o local onde a Hayabusa2 pegou suas amostras era inicialmente azulado, mas foi revestido pelo vermelho depois que a poeira criada pelo projétil baixou. Por isso, a cor avermelhada na latitude média parece ser marcas de alterações ou até mesmo impactos no asteroide.

Linha do tempo proposta pelos pesquisadores para a evolução do Ryugu (Imagem: Morota/Science)

Outra possibilidade são as interações com as partículas carregadas do vento solar, capazes de gerar reações químicas na superfície de um objeto. No entanto, os pesquisadores deduzem que a cor vermelha é resultado de uma aproximação do Sol no início da vida do Ryugu. A equipe pode até mesmo estimar quando o asteroide esteve próximo do Sol examinando a idade de suas crateras de impacto.

Assim, eles calcularam que o episódio de avermelhamento ocorreu entre 300.000 e 8 milhões de anos atrás. Eles também calculam que Ryugu provavelmente se formou cerca de 9 milhões de anos antes do avermelhamento. A equipe espera que a Hayabusa2 tenha capturado parte do material avermelhado e também da rocha azul, então é possível que possam analisar todos esses pormenores sobre a história do asteroide quando a sonda chegar no final deste ano.

Fonte: ArsTechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.