Tau-Herculídeas: o que esperar da tempestade de meteoros nesta madrugada?

Tau-Herculídeas: o que esperar da tempestade de meteoros nesta madrugada?

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 27 de Maio de 2022 às 16h45
Michał Mancewicz/Unsplash

A chuva de meteoros Tau-Herculídeas poderá proporcionar um belíssimo espetáculo no céu em breve. Prevista para acontecer durante a madrugada do dia 30 para dia 31 de maio, esta é uma chuva de meteoros que ocorre anualmente, mas desta vez, o evento pode trazer uma verdadeira “tempestade” de rochas espaciais brilhando no céu, com potencial para dezenas de milhares de meteoros por hora em condições ideais de observação.

De forma geral, podemos dizer que as chuvas de meteoros acontecem quando a Terra atravessa nuvens de fragmentos deixados por cometas ou asteroides. No caso, o “pai" da chuva Tau-Herculídeas é o cometa 73P/Schwassman-Wachmann 3 (ou apenas "SW 3"). Descoberto em 1930, este cometa leva 5,4 anos para orbitar o Sol. Só que, em 1995, o cometa se fragmentou.

Cometa 73P/Schwassman-Wachmann 3 fotografado pelo telescópio Spitzer (Imagem: Reprodução/NASA)

“Como é uma fragmentação relativamente recente que a Terra vai atravessar do dia 30 para 31, haverá uma quantidade de meteoros acima da média que essa chuva normalmente causa todos os anos”, explicou o Prof. Dr. Rodolfo Langhi, coordenador do Observatório Didático de Astronomia Lionel José Andriatto, da Universidade Estadual Paulista.

Ele conta que, desta vez, o esperado é uma taxa de milhares de meteoros por hora. “É certo que [a chuva] vai acontecer por causa dos cálculos”, explicou o professor, em entrevista ao Canaltech. Por outro lado, Langhi destacou que, quando o assunto é a intensidade da chuva, há certa fragmentação — com o perdão pelo trocadilho! — entre os astrônomos.

É que, embora haja grande expectativa para uma chuva de meteoros intensa, alguns astrônomos preveem que talvez não ocorram tantos meteoros como foi previsto — até porque há outros fatores em jogo, como a velocidade de movimento dos detritos do cometa. “Mas os cientistas da Rede Brasileira de Observação de Meteoros [BRAMON] calculam que consigamos ver, talvez, até 150 mil meteoros por hora”, disse Langhi.

Como observar os meteoros

O professor explica que quem estiver na América do Norte terá uma visão privilegiada para acompanhar o evento. E pode ficar tranquilo: apesar de o Brasil não ter posição tão favorável para vermos o brilho dos meteoros, isso não significa que ficaremos de fora do espetáculo. “As regiões mais ao norte do país serão mais privilegiadas [para as observações] que sul e sudeste”, destacou ele.

Indicação do radiante da chuva no céu da região Nordeste, na madrugada de 31 de maio (Imagem: Reprodução/Stellarium)

O melhor momento para as observações será a partir da meia-noite do dia 30 para 31; por volta deste horário, a Terra vai atravessar nuvens de detritos deixadas por rompimentos anteriores do cometa, que prometem até 50 meteoros por hora no céu. Já adiantamos que vai valer a pena dormir um pouco mais tarde: “pelos cálculos, o surto se dará às 2h15 da manhã, mas antes mesmo da meia-noite, já é possível ver a quantidade de meteoros aumentando”, disse Langhi.

Ele destaca também que o ideal é ver a chuva longe das cidades, em função da poluição das luzes artificiais. "Mesmo que parte do céu esteja obstruída por árvores, ou que você não consiga ver tudo, se as previsões baterem, será um espetáculo de qualquer maneira", ressaltou o professor. "Mesmo que sejam centenas de meteoros, já estaria bom demais; e se forem milhares, melhor ainda, não é?", finalizou.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.