Sonda JUICE ainda não foi lançada, mas já capturou imagem de Júpiter e suas luas

Por Daniele Cavalcante | 01 de Setembro de 2019 às 20h00

A espaçonave JUICE (sigla para Jupiter Icy Moons Explorer) é uma missão da Agência Espacial Europeia (ESA) que ainda está em desenvolvimento e só deve ser lançada em 2022. Mesmo assim, seus sensores já estão capturando imagens de Júpiter e de suas luas, daqui da Terra. É que os desenvolvedores precisam ter certeza que tudo está funcionando, e chegou a hora de testar as câmeras de navegação da sonda.

Para Gregory Jonniaux, especialista em navegação baseada em visão da Airbus Defense and Space (empresa contratada para ajudar no desenvolvimento do JUICE), foi “particularmente significativo realizar nossos testes já em nosso destino”, ou seja, no sistema joviano.

A câmera de navegação da nave, chamada NavCam, terá o papel de ajudar o rastreamento por rádio a determinar a posição e a velocidade da JUICE em relação às luas que estiver observando. Isso é muito importante, porque o sinal de rádio entre a Terra e Júpiter leva cerca de 1 hora e 45 minutos de ida e volta, e é aí que o sistema de navegação autônomo exerce um papel crítico.

Para testes iniciais da NavCam, uma equipe de engenheiros da Airbus levou apenas a câmera ao telhado de um edifício na instalação da empresa em Loulouse, França, para testá-la em condições reais do céu. Eles se concentraram nas várias interfaces de software e hardware, incluindo processamento de imagem e no software de navegação.

Imagem: Airbus Defence and Space

Embora a imagem pareça pouco empolgante para nós, é muito importente que tudo tenha corrido bem durante os testes. Jonniaux falou sobre a imagem em um comunicado à imprensa:

“Não é de surpreender que, a cerca de 640 milhões de quilômetros, as luas de Júpiter sejam vistas apenas como um mero pixel ou dois, e o próprio planeta Júpiter pareça saturado nas imagens devido à longa exposição necessária para capturar as luas e as estrelas de fundo, mas essas imagens são úteis para refinar/ajustar nosso software de processamento de imagem, que será executado autonomamente a bordo da espaçonave”.

Abaixo você confere quais pontinhos correspondem a cada uma das luas galileanas (que, como o próprio nome diz, foram descobertas por Galileu Galilei), e o real tamanho de Júpiter em relação à saturação da imagem causada pela longa expisão da lente.

Imagem: Airbus Defence and Space

A missão JUICE

A missão da espaçonave é se aproximar do gigante gasoso e investigar três das quatro luas galileanas do planeta: Callisto, Ganimedes e Europa, onde acredita-se que exista um oceano subterrâneo de água líquida abaixo da superfície. Ou seja, ao menos um deles pode ser potencialmente habitável. A exceção entre as luas galileanas é Io - esta não será observada pela JUICE, porque é um mundo extremamente vulcânico.

Na fase final de sua missão, a JUICE estabelecerá órbita em Ganimedes, a maior lua do Sistema Solar, para uma visão mais detalhada. A missão se encerrará em fevereiro de 2034, quando a espaçonave mergulhará na superfície de Ganimedes, o que causará sua destruição.

Fonte: Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.