Sonda japonesa estudará outro objeto após trazer amostras do asteroide Ryugu

Por Daniele Cavalcante | 25 de Setembro de 2020 às 23h00
JAXA

Atendendo às expectativas, a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) anunciou uma nova missão para sua bem-sucedida nave Hayabusa2, que realizou manobras delicadas com maestria ao coletar duas amostras do asteroide Ryugu, em 2019. Agora, a nave trará esses materiais à Terra e depois visitará outro asteroide: o 1998 KY26.

Este objeto mede menos de 1 km de diâmetro e está relativamente perto da Terra, mas vai demorar consideravelmente até que a Hayabusa2 chegue até lá. É que a sonda terá que fazer algumas manobras em torno de outros objetos no Sistema Solar para alcançar o 1998 KY26, e a visita deve acontecer mesmo só em julho de 2031.

Em agosto, a JAXA já havia sinalizado a intenção de dar outra missão à Hayabusa2, aproveitando o combustível que ainda restará em sua sonda quando ela chegar na Terra em 6 de dezembro de 2020. A Hayabusa2 é movida por motores iônicos e foi lançada com 66 kg de combustível em seus tanques. A JAXA espera que ainda haja metade desse propelente após a conclusão da missão atual.

À esquerda, simulação do asteroide 1998 KY26; à direita, o Ryugu (Imagem: Reprodução/JAXA)

Ainda havia alguma indecisão sobre qual asteroide deveria ser investigado na missão estendida, e os principais candidatos eram o 2001 AV43 e 1998 KY 26. Ambos orbitam o Sol em aproximadamente 500 dias e giram em seus próprios eixos uma vez a cada 10 minutos, sendo estes os "dias" mais curtos de qualquer objeto conhecido no Sistema Solar.

Esses asteroides são bem parecidos, mas a principal diferença é que o 1998 KY26 é provavelmente do tipo C, enquanto o 2001 AV43 pode ser um asteroide do tipo S. Então, a JAXA optou por investigar o primeiro, porque ele deve fornecer comparações mais valiosas com o Ryugu e o Bennu, que terá amostras coletadas pela OSIRIS-REx, da NASA.

Outro fator que influenciou a escolha do 1998 KY26 é a rota. Após uma jornada de 5 anos, a Hayabusa2 agora é uma nave já desgastada, e a JAXA precisa tomar decisões que ajudarão a protege-la. Para chegar ao 2001 AV43, a sonda teria que se aproximar de Vênus, o que a deixaria muito mais perto do Sol do que deveria. Por outro lado, o alvo escolhido permitirá ficar um pouco mais longe da nossa estrela, evitando assim o estresse térmico que poderia prejudicar os instrumentos da nave.

Enquanto estiver em sua nova jornada, a Hayabusa2 sobrevoará o asteroide 2001 CC21, em julho de 2026. Ele é um asteroide do tipo L relativamente raro, com cerca de 700 m de diâmetro, então será uma ótima oportunidade de investigar um pouco esse tipo de rocha espacial. A nova missão também permitira observar alguns exoplanetas e aprender algo sobre Defesa Planetária, ou seja, estratégias para proteger nosso planeta caso um asteroide grande como este esteja vindo em nossa direção.

Fonte: JAXA, Universe Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.