Hayabusa2 faz últimas tarefas antes de voltar à Terra com amostras de asteroide

Por Daniele Cavalcante | 22 de Setembro de 2019 às 20h30
JAXA

Quase quatro anos após seu lançamento ao espaço, a sonda japonesa Hayabusa2 realizou sua última tarefa antes de voltar para a Terra. Na verdade, ela realizou um ensaio que a Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA) queria fazer para colocar a nave em movimento mais uma vez: enviar marcadores de alvo em direção ao asteroide Ryugu, que é o objeto de estudo da missão.

Esses marcadores de alvo são bolas reflexivas com cerca de 10 cm de diâmetro e preenchidas com outras bolinhas menores. A sonda foi lançada com cinco desses marcadores a bordo, e já havia implantado dois no asteroide - um em outubro do ano passado e outro em maio. Agora, outras duas foram enviadas pela sonda durante o ensaio desta semana, segundo a JAXA.

Estudando o asteroide

Imagem da superfície do asteroide Ryugu, capturada pelo MASCOT (Mobile Asteroid Surface Scout), um robô franco-alemão liberado pela espaçonave Hayabusa2. Ele tinha uma bateria com 16 horas de duração, mas nesse período conseguiu realizar uma série de imagens interessantes da rocha. (Imagem: MASCOT / DLR / JAXA)

A missão Hayabusa2 estuda o Ryugu há mais de um ano. Durante esse período, a sonda criou uma cratera artificial na rocha com explosivos, lançou três pequenos robôs para explorar a superfície do asteroide e coletou amostras com sucesso para trazer à Terra.

Ryugu tem uma órbita ao redor do Sol entre a Terra e Marte e mede cerca de 900 metros. Segundo os cientistas, o material coletado ali pode auxiliar o entendimento da formação do Sistema Solar.

Além desse e outros equipamentos, a Hayabusa2 tem mais um veículo espacial, chamado MINERVA-II2, desenvolvido por um consórcio de universidades liderado pela Universidade Tohoku no Japão. Trata-se de um rover que possui duas câmeras, um termômetro e um acelerômetro, além de LEDs ópticos e ultravioletas para detectar partículas de poeira flutuantes.

Últimas tarefas

Antes que a espaçonave principal usasse a MINERVA-II2, a equipe que supervisionava a missão enviou os dois marcadores de alvo em direção ao asteroide. E, durante o procedimento, a sonda fotografou esses marcadores a cada 4 segundos, produzindo imagens impressionantes de exposição múltipla.

Quando a câmera disparou, o marcador de alvo permaneceu mais ou menos no mesmo lugar, enquanto a nave espacial se afastou a uma velocidade de cerca de 10 cm por segundo, de acordo com um comunicado da JAXA. Ao todo, os marcadores-alvo levaram alguns dias para alcançar a superfície do asteroide, devido à gravidade muito fraca da rocha espacial.

A Hayabusa2 agora deve se concentrar na observação da dupla de marcadores até o dia 23 de setembro, de acordo com a JAXA. A agência ainda não anunciou quando vai acionar o veículo espacial final da espaçonave. Essa implantação marca a última tarefa que a Hayabusa2 precisa concluir antes de transportar sua preciosa carga de amostras das rochas espaciais de volta à Terra. A sonda deixará Ryugu em novembro ou dezembro.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.