Rover que vai "farejar" água na Lua em 2023 começará a ser construído em breve

Por Daniele Cavalcante | 25 de Fevereiro de 2021 às 19h40
NASA Ames/Daniel Rutter
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Em 2019, a NASA oficializou a missão VIPER (Volatiles Investigating Polar Exploration Rover) com o objetivo de procurar água na Lua. Trata-se do primeiro rover robótico capaz de “farejar” água e outros voláteis — recursos importantes para as próximas missões tripuladas e para a permanência sustentável da humanidade na superfície lunar. Agora, a agência espacial estadunidense anunciou o avanço do projeto para a próxima etapa de desenvolvimento.

Na última quarta-feira, a NASA anunciou que o VIPER recebeu aprovação para passar da etapa de formulação, na qual foram realizadas importantes revisões do projeto. A equipe conseguiu atender a todos os requisitos, com “um nível aceitável de risco dentro das restrições de custo e cronograma”, escreveu a agência espacial. Agora, a missão chega à etapa de implementação do projeto do rover. Isso significa que o equipamento do VIPER está mais perto de se tornar uma realidade.

Daniel Andrews, gerente de projeto do VIPER, disse que a equipe agora está pronta para terminar o projeto e o planejamento operacional do rover. Em seguida, ele começará a ser efetivamente construído, e pode ser que vejamos algumas de suas primeiras imagens em algum momento dessa etapa. Andrews destaca os esforços da equipe durante a pandemia de COVID-19, que impactou o trabalho dos funcionários da NASA de várias maneiras.

Como o VIPER vai procurar água na Lua?

(Imagem: Reprodução/NASA Ames/Daniel Rutter)

O projeto VIPER faz parte do programa CLPS (Commercial Lunar Payload Services), criado pela NASA para que empresas espaciais privadas possam colaborar com a agência no envio de cargas úteis para a Lua durante o programa Artemis. Assim, a empresa selecionada para ajudar no pouso do VIPER na superfície lunar foi a Astrobotic, que assinou um contrato de US$ 199,5 milhões com a NASA em 2020.

Batizado como Griffin, o módulo de pouso da Astrobotic tem quase dois metros de altura e 4,5 metros de diâmetro, e será o responsável por descer da órbita lunar e realizar uma alunissagem (o equivalente à aterrissagem na Lua) segura, levando o VIPER consigo. Depois deste pouso, o rover movido a energia solar começará a andar pela superfície lunar e iniciará uma missão de 100 dias, percorrendo cerca de 20 km.

O rover em terá 2,5 metros de altura e 1,5 metros de comprimento e largura, e será um especialista em se esgueirar em torno de crateras graças a um novo tipo de movimento em suas rodas. Ele também será ágil o suficiente para se mover por vários tipos de inclinações e de solos, desde os mais compactos e rochosos aos mais “fofos”. Com seus instrumentos sensíveis e sua broca, ele vai tentar detectar moléculas de água tanto na superfície quanto abaixo dela. Esses componentes permitirão ao rover estudar muitas características da água polar da Lua.

Há uma série de outras inovações neste rover, como o fato de ser o primeiro da NASA a contar com faróis para que consiga explorar áreas onde a luz do Sol não chega há bilhões de anos. Além disso, ele será capaz de trabalhar durante a noite lunar, algo que as demais sondas lunares não fazem — elas “adormecem” para poupar energia e sobreviver ao frio extremo durante duas semanas terrestres, que é o tempo de duração de uma noite lunar. Por fim, o VIPER usará uma broca, projetada para atingir cerca de 1 metro de profundidade, para cavar e estudar a composição da Lua de maneira inédita. A previsão de lançamento é para o final de 2023.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.