Rover Perseverance apresenta bom desempenho em seu primeiro mês em Marte

Por Danielle Cassita | 17 de Março de 2021 às 21h20
NASA/JPL-Caltech

Depois de uma longa viagem, o rover Perseverance, da missão Mars 2020, pousou na cratera Jezero em 18 de fevereiro. Desde então, a equipe da missão vem analisando os subsistemas e instrumentos do rover, que mostraram excelentes resultados. Segundo informações da equipe da missão, que foram fornecidas durante uma apresentação online feita na última terça-feira (16), o Perseverance se saiu bem em todas as verificações feitas até então.

Lançada em julho do ano passado, a missão Mars 2020 viajou milhões de quilômetros até chegar a Marte, para pousar o rover Perseverance — e o helicóptero Ingenuity, acoplado ao rover — na cratera Jezero. Ken Farley, cientista de projeto do Perseverance, comentou que tudo está indo muito bem com o veículo: “não tivemos grandes problemas técnicos”, disse. Depois que as verificações forem finalizadas, a primeira grande tarefa do Perseverance será liberar o helicóptero Ingenuity para voar.

O Ingenuity não possui instrumentos científicos, mas tem um instrumento para produzir imagens coloridas em alta resolução (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)

Por enquanto, o helicóptero está preso à parte inferior do rover para carregar suas baterias e se manter protegido, mas, assim que a equipe encontrar uma boa localização, ele deverá tentar realizar alguns voos de demonstração curtos. Após liberá-lo, o Perseverance vai seguir até uma distância segura, onde vai se posicionar para usar as câmeras do instrumento Mastcam e documentar o Ingenuity entrando em ação: “será muito interessante, e estamos ansiosos para estes vídeos históricos dos primeiros voos”, disse Jim Bell, principal investigador da Mastcam-Z.

Segundo a equipe da missão, existe até a possibilidade de os microfones do rover gravarem o áudio dos voos. O objetivo aqui não é fazer estudos científicos, mas sim verificar uma nova forma de voar em Marte, já que estas serão as primeiras tentativas de voo feitas em outro planeta por uma aeronave com rotores. Portanto, se tudo correr bem, outras missões futuras para o planeta podem incluir helicópteros para explorar o ambiente por lá. Depois desta etapa, o Perseverance vai mergulhar em seu trabalho científico.

Um dos principais objetivos da missão é a busca por possíveis bioassinaturas, que teriam sido deixadas por formas de vida microbiana em um passado bem distante. Como a cratera Jezero abrigou o delta de um rio há bilhões de anos, estes sinais podem ter sido preservados, então nada mais justo do que o Perseverance trabalhar por lá. A equipe da missão já esboçou o plano de uma travessia experimental, que poderá levar o rover à borda da cratera e às planícies além dela durante duas diferentes etapas.

O plano atual da missão também envolve a coleta de cerca de 40 amostras de solo e rochas, que vão ficar armazenados em tubos, que então serão depositados em diferentes lugares. Farley comentou que isso “envolve bastante deslocamento, mas que produzirá uma diversidade fantástica de amostras de rochas de dois diferentes ambientes em Jezero e além”. Posteriormente, este material será enviado para a Terra no início da década de 2030 por meio de uma missão em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA).

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.