Rocket Lab quer lançar missão privada para procurar vida em Vênus em 2023

Por Danielle Cassita | 17 de Agosto de 2020 às 18h40

Não é de hoje que cientistas trabalham com a possibilidade da existência de vida em Vênus: nos anos 1960, Carl Sagan propôs, em um artigo da revista Nature, que, talvez, exista vida nas nuvens venusianas. Essa não é exatamente a hipótese favorita da ciência, mas a Rocket Lab, empresa privada de voos espaciais, pretende expandir seus voos para a realização de viagens interplanetárias e verificar uma eventual ocorrência de vida por lá. Assim, a empresa anunciou recentemente que planeja lançar missões astrobiológicas em Vênus em 2023.

Para a missão, a Rocket Lab irá utilizar o foguete Electron, de dois estágios, e o pequeno satélite Photon. O Electron passou por avanços importantes na tecnologia de suas baterias e se tornou uma boa opção para missões interplanetárias. Assim, o foguete é capaz de carregar até 300 kg de carga útil à órbita terrestre baixa. Já o Photon não irá descer aos céus venusianos, mas deverá sondar a atmosfera do planeta. Essa não será a primeira missão espacial da empresa; a Rocket Lab já tem um contrato assinado com a NASA para levar um satélite à Lua em 2021 com o Electron e o Photon.

Foguete Electron (Imagem: Rocket Lab)

Peter Beck, CEO e fundador da empresa, se declara “profundamente apaixonado por Vênus”, e está trabalhando duro para poder realizar essa missão. A ideia para a empreitada vem do potencial astrobiológico que o planeta contém, e poderá trazer lições valiosas para os cientistas. Beck vê Vênus como uma “Terra passando por um desastre de mudanças climáticas”; essa descrição é bastante pertinente: em um passado distante, o planeta tinha rios, lagos e oceanos. Entretanto, as mudanças climáticas foram tão intensas que geraram efeito estufa, o grande responsável pela pressão atmosférica esmagadora e altíssimas temperaturas venusianas.

Então, se a vida tiver realmente ocorrido por lá, pode ser que tenha se refugiado no céu em meio a bolsas potencialmente habitáveis na atmosfera que ainda podem existir. Por exemplo, a apenas 50 km de altura da superfície de Vênus, a temperatura e pressão são mais similares àquelas da Terra hoje. É este ambiente que o Rocket Lab pretende explorar em 2023 em sua missão. “Vamos aprender muito no caminho até lá, e vamos tentar descobrir o que está naquela zona atmosférica”. Claro, não é garantido que realmente exista vida por lá, mas a missão deverá trazer resultados importantíssimos para a busca por vida. Quem sabe?

Fonte: Space.com, BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.