Rocket Lab põe satélite de carona em missão e quer tornar órbita mais acessível

Por Danielle Cassita | 07 de Setembro de 2020 às 19h00
Rocket Lab

A 14ª missão I Can't Believe It's Not Optical, da Rocket Lab, foi lançada com tanto sucesso no final de agosto que levou até o satélite First Light de “carona”. A empresa de lançamento de satélites incluiu discretamente o First Light junto da carga útil contratada pelo cliente, e toda a carga foi lançada na nave Photon. Essa foi uma espécie de demonstração tecnológica para a empresa mostrar que o acesso à órbita não precisa ser algo tão complexo.

O lançamento não é exatamente uma surpresa, porque a empresa já havia anunciado a compra da plataforma do Photon no início do ano passado. Já em março de 2020, a Rocket Lab adquiriu a Sinclair Interplanetary, que trabalha com o desenvolvimento de naves. Então, era questão de tempo até estes dois movimentos resultarem em algo mais concreto, como o lançamento. Peter Beck, CEO da empresa, explicou em uma transmissão ao vivo que “como o First Light já está em órbita, o ‘acesso ao espaço’ é um problema resolvido”.

Registro que First Light fez da Terra (Imagem: Rocket Lab)

Entretanto, ele ressaltou também que o processo — que levou 18 meses para sair do papel e entrar em órbita — ainda é lento demais em relação às inovações que acontecem, e isso precisa ser melhorado principalmente no caso de startups. Mesmo assim, a Photon e o First Light representam a proposta de novo negócio da Rocket Lab, com modernidade e flexibilidade para os clientes da empresa.

Beck explica também que a demonstração permitiu que a Rocket Lab testasse todos os sistemas do Photon — inclusive aqueles que seriam importantes em missões no espaço profundo. Ali, ocorreu uma chance para possíveis clientes verem o satélite em ação: o Photon conta com uma câmera a bordo, e registrou imagens de si próprio e da Terra. Futuramente, a Rocket Lab pensa em realizar mais testes com o satélite.

Vale lembrar que, de fato, o Photon foi lançado quase de forma “secreta”, mas não é a primeira vez que a Rocket Lab faz isso: em 2018, a empresa lançou o satélite Humanity Star como parte de um projeto artístico. E, além disso, Beck explica o motivo do lançamento discreto: “queria ter certeza de que está tudo certo e que funciona antes de anunciar". A Rocket Lab já se inscreveu para uma missão lunar com a NASA, que será baseada no Photon e irá ajudar a abrir o caminho para futuras missões Artemis.

Fonte: TechCrunch, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.