Relatórios confidenciais dos EUA revelam efeitos dos OVNIs no corpo humano

Relatórios confidenciais dos EUA revelam efeitos dos OVNIs no corpo humano

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 13 de Abril de 2022 às 13h13
Reprodução/Jeremy Corbell/YouTube

Norte-americanos que afirmam ter observado OVNIs (sigla para “objetos voadores não identificados”) alegam ter sofrido queimaduras de radiação, danos ao cérebro e sistema nervoso e até “gestações inexplicadas”. É o que descreve um conjunto de mais de 1.500 páginas de relatórios do governo dos EUA, publicado recentemente através de um pedido da Lei de Liberdade de Informação (FOIA).

O material foi solicitado pelo tabloide britânico The Sun, e entregue mais de quatro anos após o pedido pela Agência de Inteligência de Defesa (DIA). Segundo o tabloide, as milhares de páginas dos documentos trazem relatos de diferentes efeitos biológicos no corpo humano.

Observação de OVNI confirmada pela Marinha dos EUA (Imagem: Reprodução/Marinha dos EUA)

Os relatórios trazem também descrições de estudos de tecnologias avançadas, como capas de invisibilidade, e planos para a exploração e colonização do espaço profundo. Algumas partes dos documentos foram "retidas" em função de questões de privacidade e confidencialidade, afirmou o veículo.

Danos após observações de OVNIs

Em meio ao material, um documento que se destaca é o relatório Anomalous Acute and Subacute Field Effects on Human and Biological Tissues ("Efeitos de campo anômalos agudos e subagudos em tecidos humanos e biológicos", em tradução literal), de 2010, que descreve ferimentos sofridos por “observadores humanos, causados por sistemas aeroespaciais anômalos e avançados”. Segundo o documento, alguns destes sistemas podem ser uma ameaça aos interesses dos Estados Unidos.

Há também mais de 40 casos de arquivos médicos, e outros 300 casos “não publicados” de lesões, que teriam sido causadas após os encontros com “veículos anômalos” — as lesões vão desde queimaduras até problemas de saúde relacionados à radiação eletromagnética, sendo que alguns deles parecem ter sido causados por sistemas de propulsão.

Os documentos incluem também casos de danos ao cérebro, nervos, palpitações cardíacas e dores de cabeça relacionadas aos encontros. Por fim, entre os efeitos biológicos alegados pelos observadores dos objetos, há ainda “gestações inexplicadas”, “abduções aparentes”, paralisia e experiências de percepção de telepatia, teletransporte e levitação.

Carta da Agência de Inteligência de Defesa, confirmando a publicação das páginas dos arquivos (Imagem: Reprodução/DIA)

Vale lembrar que a preocupação por parte dos militares dos Estados Unidos quanto a estes objetos se deve, principalmente, à possibilidade de que sejam aeronaves ou armas de algum outro país; portanto, não necessariamente os objetos voadores não identificados têm relação com visitas de seres extraterrestres.

Como os relatórios foram obtidos

O The Sun solicitou uma cópia de todos os arquivos, relatórios ou vídeos relacionados ao programa Advanced Aviation Threat Identification Program (AATIP), uma iniciativa secreta do Departamento de Defesa dos Estados Unidos ativa de 2007 a 2012.

Na verdade, o programa nunca foi classificado oficialmente como algo secreto, mas a existência dele só veio ao conhecimento do público em 2017, após a publicação de vídeos de aeronaves não identificadas realizando movimentos impossíveis, observados por militares dos Estados Unidos.

Desde as revelações do AATIP, os Estados Unidos mudaram a forma como vêm abordando os assuntos relacionados aos OVNIs. Tanto que, agora, estes fenômenos são mais frequentemente descritos como “Fenômenos Aéreos Não Identificados (ou “UAPs”, na sigla em inglês).

Fonte: The Sun; Via: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.