Publicidade

Novo atlas reúne imagens e dados de 400 mil galáxias

Por| Editado por Patricia Gnipper | 19 de Outubro de 2023 às 09h10

Link copiado!

CTIO/NOIRLab/DOE/NSF/AURA/J. Moustakas
CTIO/NOIRLab/DOE/NSF/AURA/J. Moustakas

Um novo mapa cósmico foi lançado por pesquisadores do NOIRLab com imagens e medições precisas de quase 400.000 galáxias próximas da Via Láctea. Além de ajudar nas pesquisas científicas desde a evolução galáctica até a energia escura, os arquivos também estão disponíveis ao público.

Entre os anos 2017 e 2017, um levantamento de dados chamado DESI Legacy Surveys foi realizado pra encontrar e descrever galáxias interessantes para serem incorporadas na pesquisa Dark Energy Spectroscopic Instrument (DESI). O objetivo final do DESI é analisar a história da expansão do universo causada pela energia escura.

Agora, a equipe do projeto lançou um atlas contendo informações detalhadas sobre 380.000 galáxias, incluindo a localização de cada uma delas no céu noturno com a maior precisão já vista até então. Os cientistas, astrônomos amadores e o público geral podem acessar o banco de dados do Siena Galaxy Atlas 2020 (SGA) para conferir as imagens e informações sobre cada um dos objetos, individualmente.

Continua após a publicidade

Os dados foram coletados no Observatório Interamericano de Cerro Tololo e no Observatório Nacional Kitt Peak (ambos do NOIRLab) e no Observatório Steward da Universidade do Arizona. O catálogo vai ajudar pesquisadores de todas as áreas, como a formação de evolução de galáxias, expansão do universo, matéria escura e ondas gravitacionais.

Cientistas também vão poder usar o atlas para procurar por eventos transitórios, isto é, que ocorrem por um curto período de tempo. É o caso das supernovas, colisões cataclísmicas de objetos massivos, entre outros que podem coincidir com ondas gravitacionais detectadas por outros instrumentos. Ao combinar uma dessas detecções com os dados do atlas, os pesquisadores podem encontrar a galáxia onde os eventos ocorreram.

Além da precisão dos dados, o SGA conseguiu limpar a maior parte dos ruídos e estrelas da Via Láctea em primeiro plano, coisas que muitas vezes atrapalha as análises e resultam em falsos-positivos de galáxias. Também foram feitas melhores medições de brilho para os quase 400 mil objetos, pela primeira vez, o que ajudará a determinar distâncias e massas.

Continua após a publicidade

Para o público, o atlas fornece imagens de galáxias com seus diversos formados e cores, proporcionando “impacto real não só na investigação astronómica, mas também na capacidade do público de ver e identificar galáxias relativamente próximas”, disse Chris Davis, do NOIRLab. "Os astrônomos amadores dedicados vão adorar particularmente este recurso para aprender mais sobre alguns dos alvos celestes que observam", concluiu.

Você pode acessar o atlas no portal Siena Galaxy Atlas 2020 e navegar por centenas de milhares de galáxias disponíveis.

Fonte: NOIRLab