Nave Crew Dragon da SpaceX levará astronautas da NASA à ISS em meados de maio

Por Daniele Cavalcante | 19 de Março de 2020 às 14h09
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Depois de seis anos desenvolvendo uma nova espaçonave de tripulação para a NASA, a SpaceX está finalmente em seus últimos preparativos para o primeiro voo com passageiros rumo à Estação Espacial Internacional (ISS). Essa missão será histórica, pois marcará o retorno dos lançamentos de astronautas norte-americanos em uma nave estadunidense desde a última missão do ônibus espacial Atlantis, em 8 de julho de 2011. Desde então, esse transporte vem sendo realizado em parceria com os russos e suas naves Soyuz.

Na quarta-feira (18), a NASA convocou a imprensa para cobrir a missão, que ocorrerá no Cabo Canaveral, na Flórida. No entanto, ainda é necessário aguardar as próximas notícias sobre a atual pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2). Se as restrições atuais permanecerem vigentes nos próximos meses, mudanças serão feitas nos planos da NASA.

Independente disso, o foguete Falcon 9 da SpaceX está programado para lançar a espaçonave Crew Dragon com os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley a bordo. Atualmente, a NASA e a SpaceX estão planejando realizar o lançamento o mais cedo possível, até meados de maio.

Interior da cápsula Crew Dragon (Foto: SpaceX)

Esta será a segunda e última missão de teste da Crew Dragon e seu sistema de voo espacial humano, que inclui operações de lançamento, atracagem, amerissagem (retorno com pouso no mar) e recuperação. É o teste final do sistema antes que a SpaceX seja certificada para realizar os voos operacionais de astronautas da NASA à ISS e de retorno à Terra.

Desde o último voo do Atlantis, os astronautas da NASA precisam pegar uma “carona” no foguete Soyuz, da Rússia, para ir e vir da ISS. Cada assento naquele veículo custa à agência espacial norte-americana mais de US$ 70 milhões. Para mudar essa história, a NASA financiou duas empresas - Boeing e SpaceX - para desenvolver novas cápsulas espaciais, através da iniciativa Commercial Crew Program. Ambas atrasaram o desenvolvimento de suas naves e enfrentaram alguns problemas ocorridos em testes.

Coronavírus e precauções

Apesar da importância do voo, a NASA sabe que a situação com o novo coronavírus não pode ser negligenciada. A agência afirmou que seguirá as orientações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças e de seu chefe de saúde e medicina, e garante que “comunicará quaisquer atualizações que possam afetar o planejamento da missão ou o acesso à mídia, assim que estiverem disponíveis”.

Empresas e organizações nos EUA estão dizendo aos funcionários para trabalharem remotamente, e a NASA não é uma exceção. Todos os centros e instalações da agência espacial determinaram que seus funcionários trabalharão remotamente, com exceção para o pessoal considerado essencial para missões. Funcionários da SpaceX foram informados que devem ficar em casa se estiverem doentes, embora o CEO da companhia, Elon Musk, subestime os riscos associados ao coronavírus.

Ainda assim, o administrador da NASA, Jim Bridenstine, diz que a agência ainda trabalha em importantes missões, como é o caso do lançamento da Crew Dragon, mesmo que a agenda possa mudar caso a pandemia continue a piorar. Um espaçoporto na América do Sul já suspendeu os lançamentos para proteger seu pessoal e as pessoas que moram perto do local.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.