SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

NASA vai demonstrar comunicação a laser no espaço durante missão Psyche

Por| Editado por Patricia Gnipper | 11 de Agosto de 2023 às 17h53

Link copiado!

NASA
NASA

A NASA vai lançar a missão Psyche para estudar o asteroide 16 Psyche, mas os objetivos não incluem somente a rocha espacial. Além de examinar o asteroide, a sonda da missão vai realizar uma demonstração do Deep Space Optical Communications (DSOC), sistema que promete grandes mudanças na transmissão de dados entre espaçonaves e as equipes de controle em solo.

Para isso, o DSOC vai trabalhar com a luz a laser no infravermelho próximo, ao invés de usar as ondas de rádio dos métodos tradicionais de transmissão. A escolha se deve ao seu terminal a laser, um dispositivo menor e mais leve que uma antena de rádio.

Além desta vantagem, a luz a laser tem comprimentos de onda menores que aqueles dos sinais de rádio, o que permite transmitir mais informações. “O DSOC foi desenhado para demonstrar 10 a 100 vezes a capacidade de retorno de dados dos sistemas de última geração usados no espaço atualmente”, explicou Abi Biswas, tecnólogo na NASA.

Continua após a publicidade

Durante a demonstração, instalações em Los Angeles, nos Estados Unidos, vão disparar feixes a laser que devem viajar 300 milhões de quilômetros. Enquanto isso, a sonda Psyche vai ter um transceptor, que vai procurar e se fixar ao feixe vindo da Terra ao longo de dois anos — tudo isso autonomamente!

Um telescópio com 22 cm de abertura vai determinar a quantidade de fótons presentes no feixe. Depois o transceptor vai acionar seu próprio laser em direção ao Observatório Palomar, nos Estados Unidos. A NASA sabe que o teste não vai ser fácil, mas se der certo, pode ajudar a agência espacial a usar o DSOC em missões espaciais futuras.

Após alguns adiamentos, a missão Psyche deve ser lançada em outubro com destino ao asteroide também chamado de Psique. Ele é composto principalmente por metais como ouro e níquel, e parece ser um protoplaneta. Por isso, estudá-lo vai ajudar os cientistas a entender melhor as origens do Sistema Solar.

Continua após a publicidade

Fonte: NASA