Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

NASA lança seu mais novo satélite de observação da Terra

Por| Editado por Patricia Gnipper | 02 de Março de 2022 às 13h10

Link copiado!

ULA
ULA
Tudo sobre NASA

O mais novo satélite de observação da Terra foi lançado pela NASA por volta das 18h38 (horário de Brasília) da terça-feira (1º), através do foguete Atlas V da United Launch Alliance (ULA), a partir do Cabo Canaveral. O GOES-T é o terceiro de uma série de satélites meteorológicos da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos EUA.

Poucas horas após o lançamento, os gerentes da missão do GOES-T (sigla em inglês para "Satélite Ambiental Operacional Geoestacionário") confirmaram a implantação dos painéis solares e disseram que o satélite estava funcionando com sua própria energia.

Continua após a publicidade

Embora o principal objetivo do GOES-T seja acompanhar o clima terrestre, ele também fornecerá uma cobertura contínua das condições ambientais perigosas do hemisfério ocidental. O programa também prevê a ameaça do clima espacial aos sistemas eletrônicos de satélites, GPS e comunicações via rádio.

Monitorando a Terra

O satélite ajudará os modelos de clima terrestre e do clima espacial. “Modelos esses que, por sua vez, apoiam o trabalho crucial da NOAA à medida que lideram as previsões meteorológicas e espaciais para a nação”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas da NASA.

Continua após a publicidade

Quando o satélite alcançar a sua posição geoestacionária, a 35.888 km de altitude, ele será renomeado como GOES-18. Em seguida, será feita uma verificação do estabelecimento de sua órbita e do funcionamento dos seus instrumentos. Então, o satélite cobrirá a costa oeste dos EUA e o Pacífico.

O diretor da Divisão de Satélites da Agência Conjunta da NASA, John Gagosian, destacou o trabalho de 48 anos com satélites geoestacionários da agência espacial e da NOAA. O sistema GOES ajuda a monitorar eventos perigosos como furacões, tempestades e inundações.

Fonte: NASA