NASA financia missão que enviará um CubeSat a uma órbita exótica ao redor da Lua

Por Daniele Cavalcante | 15 de Setembro de 2019 às 19h00
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

A empresa Advanced Space, do Colorado, recebeu da NASA um contrato de US$ 13,7 milhões para desenvolver e operar uma missão que enviará um CubeSat à órbita lunar. A expectativa é que esta seja a primeira espaçonave em uma órbita de halo quase retilínea ao redor da Lua — a mesma que também fará a estação lunar Gateway, da NASA.

Nesta órbita, o CubeSat girará em conjunto com a Lua, enquanto ela orbita a Terra. Quando ele estiver em sua posição mais próxima do nosso satélite natural, estará a menos de 1.600 km de distância; quando estiver em sua posição mais longínqua, estará a cerca de 70.000 km afastado da superfície lunar.

Batizada de CAPSTONE (Cislunar Autonomous Positioning System Technology Operations and Navigation Experiment), a missão poderá começar em dezembro de 2020 e demonstrará como entrar e operar nesta órbita exótica, além de testar uma nova capacidade de navegação. Com isso, a equipe coletará informações que vão ajudar a reduzir a incerteza logística da Gateway, que abrigará astronautas e fornecerá a eles acesso seguro à superfície da Lua.

A CAPSTONE fará a mesma órbita da estação Gateway. (Imagem: Advanced Space)

Jim Reuter, administrador da Space Technology Mission Directorate, da NASA, disse que “esta missão é altamente ambiciosa em termos de custo e cronograma — e assumir esse risco deliberado faz parte do objetivo desta missão. O CubeSat é um modelo de 12 unidades (ou seja, 24×24×36 cm, uma das maiores plataformas disponíveis), com o tamanho de um pequeno forno de microondas. Carrega um sistema de comunicação capaz de determinar a que distância o CAPSTONE está do Lunar Reconnaissance Orbiter da NASA e a velocidade com que a distância entre as duas naves está mudando.

As informações sobre distâncias entre essas espaçonaves serão usadas para demonstrar um software para navegação autônoma, o que permitirá às futuras missões a capacidade de determinar suas localizações sem depender apenas do rastreamento feito na Terra.

Após o lançamento, o CAPSTONE levará aproximadamente três meses para entrar em sua órbita e iniciar uma fase de demonstração primária de seis meses. "Esta é uma oportunidade animadora para a NASA avançar agressivamente em direção à Lua, em parceria com várias pequenas empresas americanas, como uma vanguarda para a Artemis e sustentar a presença humana além da órbita baixa da Terra", disse Jim Reuter.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.