NASA divulga nova imagem em 3D das dunas de Marte

NASA divulga nova imagem em 3D das dunas de Marte

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 07 de Junho de 2022 às 17h35
NASA/JPL-Caltech/UArizona

O movimento da poeira nas dunas em Marte, ao longo do tempo, está sendo monitorado pela câmera HiRISE (High Resolution Imaging Experiment), da sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO). A nave está na órbita do Planeta Vermelho desde 2006, e a equipe da missão publicou no Twitter uma foto recente capturada por ela.

“Quem não gosta de uma imagem de dunas em 3D?”, escreveram os membros da equipe da HiRISE na publicação da foto, no Twitter. “Preste atenção ao ‘fio’ de areia no lado direito da foto. É interessante como isso pode ter se formado”, destacaram.

O post não trouxe muitos detalhes sobre a foto, mas sabemos que a região Nili Patera, onde estão as dunas fotografadas, é estudada há alguns anos. Abaixo, você pode conferir a imagem mencionada por eles. Para ver o efeito 3D é necessário o uso de óculos anáglifos, aqueles com lentes azuis e vermelhas.

Localizada em parte da área formada por um vulcão colapsado de Syrtis Major, Nili Patera é uma região conhecida por ter fluxos singulares de lava formadora de basalto e dacito — este último, especialmente, é um tipo de rocha ígnea vulcânica bastante rara em Marte. Isso sugere que a área guarda um passado complexo, principalmente no que diz respeito ao vulcanismo por lá.

De acordo com informações da NASA, Nili Patera tem dunas barchan, nome dado àquelas com formato crescente e originadas da ação contínua do vento, soprando em uma única direção. Conforme o vento empurra lentamente os grãos de areia, eles chegam à parte superior das maiores dunas e formam pequenos canais ondulados na “encosta” delas.

Quando chegam ao topo das dunas, os grãos descem pelas encostas menores, sem os canais. Segundo a agência espacial, este movimento gradual da areia faz com que as dunas se movam lentamente ao longo do tempo. Por isso é importante estudá-las, já que as dunas representam áreas sempre em mudança na superfície marciana, diferentemente dos materiais que ficam constantemente expostos à ação da luz ultravioleta ou gama.

Fonte: HiRISE, NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.