NASA decide interromper projeto do lander lunar graças à "treta" da Blue Origin

NASA decide interromper projeto do lander lunar graças à "treta" da Blue Origin

Por Daniele Cavalcante | Editado por Patrícia Gnipper | 20 de Agosto de 2021 às 12h46
NASA

A NASA concordou em paralisar temporariamente o desenvolvimento do Human Landing System (HLS), módulo de pouso que levará astronautas à superfície da Lua, após ação da Blue Origin no Tribunal de Ações Federais dos Estados Unidos. O contrato de US$ 2,9 bilhões para o HLS foi concedido à SpaceX de Elon Musk em uma decisão contestada por Jeff Bezos, fundador da Blue Origin.

Essa nova paralisação nos preparativos do Programa Artemis, que levará os próximos humanos e a primeira mulher à Lua daqui a alguns anos, deve terminar em 1º de novembro, duas semanas depois que as alegações orais forem apresentadas, o que deve ocorrer no dia 14 de outubro, de acordo com o cronograma estabelecido na última quinta-feira (20).

O processo da Blue Origin se deve à decisão da NASA conceder contrato exclusivo à SpaceX para o desenvolvimento do HLS, contrariando a informação inicial de que duas empresas seriam escolhidas para ajudar a agência espacial a criar os equipamentos necessários para o pouso humano na Lua. O terceiro candidato era a empresa Dynetics.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Conceito do lander lunar da SpaceX, baseado no Starship (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Indignada com a decisão de contratar apenas uma empresa, a Blue Origin processou a NASA e exigiu que os critérios de escolha fossem revistos. A ação é "uma tentativa de remediar as falhas no processo de contratos encontradas no Human Landing System", argumentou a companhia de Bezos.

No mês passado, o US Government Accountability Office (GAO) apoiou a NASA em sua decisão, mas a Blue Origin disse que continua convencida de haver "questões fundamentais" na decisão da NASA que o GAO não foi capaz de resolver "devido à sua jurisdição limitada". Por outro lado, agência espacial disse na quinta-feira que "está comprometida com [o programa] Artemis e em manter a liderança global do país na exploração do espaço”.

Entretanto, a nova paralisação pode significar um atraso no cronograma da NASA, que prevê o retorno da humanidade à superfície da Lua em 2024. O administrador da agência disse que não sabia se manter este cronograma ainda será possível, dados os desdobramentos do programa com esta briga entre Blue Origin, NASA e SpaceX. Sobre a decisão de contratar apenas uma empresa para o HLS, a NASA alegou limites no orçamento concedido do Congresso norte-americano.

Fonte: Space News, Reuters, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.