Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

NASA confirma que missão DART alterou a órbita do asteroide Dimorphos

Por| Editado por Patricia Gnipper | 11 de Outubro de 2022 às 16h24

Link copiado!

NASA/JHUAPL
NASA/JHUAPL
Tudo sobre NASA

Após semanas de análises dos dados da missão Double Asteroid Redirection Test (DART), os cientistas concluíram que a nave alterou a órbita do asteroide Dimorphos com sucesso. A sonda fez história ao atingir a rocha espacial no dia 26 de setembro na primeira demonstração de uma técnica de desvio de um asteroide, sendo também a primeira vez que a humanidade tenta mudar o movimento de um objeto espacial.

Antes do impacto, Dimorphos levava 11 horas e 55 minutos para orbitar Didymos, o outro asteroide do sistema binário. As observações de telescópios mostraram que o impacto alterou a órbita de Dimorphos, que agora é de 11 horas e 23 minutos — a equipe da missão havia estimado um período orbital mínimo de 73 segundos ou mais, que indicaria o sucesso da missão. Portanto, a DART não apenas atingiu o limite mínimo como também foi além dele!

Continua após a publicidade

Os cientistas da missão ainda estão coletando dados com observatórios em solo em todo o mundo, que vão ajudar a melhorar a precisão do período orbital da rocha. Mesmo assim, ainda há muito trabalho pela frente, e a equipe vai analisar a pluma de detritos ejetados para, assim, entender a eficiência da transferência de momento da DART durante a colisão com seu alvo.

O choque da DART fez com que várias toneladas de rochas fossem lançadas ao espaço. Agora, os cientistas querem entender melhor o recuo desta explosão de detritos, que ampliou o “empurrão” da DART contra Dimorphos, como acontece quando o ar escapa de um balão e o empurra na direção oposta. Mas, para isso, eles precisam primeiro saber mais sobre as propriedades de Dimorphos, que ainda não são bem conhecidas.

Então, para entender os efeitos do recuo do material, os cientistas precisam conhecer a superfície do asteroide, seu nível de resistência e outros aspectos, que ainda estão em análise. Para isso, eles vão trabalhar com as imagens do asteroide obtidas nos momentos finais da missão, junto das fotos capturadas pelo satélite italiano LICIACube.

Bill Nelson, administrador da NASA, celebrou os resultados. “Esta missão mostra que a NASA está tentando estar pronta para o que quer que o universo jogue para nós”, disse, em um comunicado. “Todos nós temos a responsabilidade de proteger nosso planeta. afinal, este é o único que temos”.

Continua após a publicidade

Fonte: NASA