Mapas mais detalhados já feitos de Marte serão usados na próxima missão da NASA

Por Danielle Cassita | 28 de Julho de 2020 às 13h13
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Agora, faltam apenas alguns dias para o lançamento da missão Mars 2020, da NASA: o lançamento irá ocorrer nesta quinta-feira (30), e o rover deverá chegar ao Planeta Vermelho em meados de fevereiro do ano que vem – e, aliás, ele estará muito bem equipado com um dos mapas mais precisos já criados.

Para evitar problemas ao chegar, o Perseverance contará com o sistema Terrain-Relative Navigation (TRN), que identificará possíveis perigos no caminho para alterar a rota se houver necessidade. É aqui que entram os mapas dos pesquisadores do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), criados em diferentes resoluções com imagens capturadas pela sonda Mars Reconnaissence Orbiter, também da NASA, que fica ao redor do Planeta Vermelho.

Serão utilizados dois mapas. O primeiro, que será a base para a missão, apresenta uma resolução de 10 polegadas por pixel, e tem marcações nos locais de aterrissagem próximos ao antigo delta da cratera Jazero. Já o segundo é um mapa de superfície com estrutura mais tradicional, que tem a resolução de 6 metros por pixel. Assim, a Mars 2020 vai fotografar a paisagem de Jezero, e o TRN irá comparar as imagens fotografadas àquelas dos mapas quase como os softwares de reconhecimento facial fazem. Robin Fergason, geofísico do Centro de Ciência Astrogeológica do USGS, explica este processo: "Será possível identificar se estamos descendo em um pixel vermelho. Se sim, podemos alterar os foguetes para navegar até o pixel verde mais próximo".

Moisaco da cratera Jezero produzida pelo USGS (Imagem: Fergason et al./USGS/NASA/JPL-Caltech)

Outra inovação está na técnica Range Trigger, que será utilizada pela primeira vez. Trata-se de uma estratégia onde os paraquedas são abertos a partir da posição relativa da nave em relação ao ponto de aterrissagem desejado, o que confere grande precisão: "essa estratégia poderia levar o Perseverance a alguns quilômetros mais próximo do ponto que os cientistas querem estudar", explicam os oficiais da NASA. Isso poderia reduzir até um ano do trajeto do veículo ao local que será estudado.

Quando chegar a Marte, o rover Perseverance irá buscar vestígios de vida por lá, além de realizar um reconhecimento detalhado da cratera Jezero e coletar amostras para trazer em seu retorno. Se tudo correr bem, essa amostras serão levadas à Terra em 2031.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.