Mais de cem pequenos mundos são encontrados além de Netuno

Por Patrícia Gnipper | 12 de Março de 2020 às 15h31
NASA, ESA, G. Bacon

Já temos conhecimento de vários dos chamados Objetos Trans-Netunianos (TNOs, na sigla em inglês) — inclusive, o planeta-anão Plutão é um deles, sendo o primeiro TNO já descoberto, em 1930. E, agora, mais de cem outros pequenos mundos foram encontrados na órbita além de Netuno, usando dados do Dark Energy Survey (DES), que é equipado com uma câmera poderosa de 570 megapixels. As descobertas foram publicadas no The Astrophysical Journal Supplement Series.

Os pesquisadores estavam procurando, na verdade, por galáxias distantes e supernovas, quando fizeram a descoberta aqui no Sistema Solar mesmo. Eles notaram um conjunto de pequenos pontos em movimento no campo de visão da câmera, e então passaram a estudá-los para entender do que se tratavam.

Dessa maneira, o estudo também fornece uma nova abordagem para encontrar objetos do tipo, o que ajudará futuros pesquisadores que focarem seus trabalhos naquela região onde fica o Cinturão de Kuiper. E provavelmente a técnica será benéfica na busca incansável pelo tal do Planeta Nove — suposto objeto grande o suficiente para ser um planeta cuja ação gravitacional "bagunça" a órbita de vários objetos por lá, mas que ainda não foi descoberto.

Estimativas quanto ao ainda hipotético Planeta Nove (Imagem: James Tuttle Keane/Caltech)

Conferindo dados obtidos nos quatro primeiros anos de operação do DES (que já opera há seis anos), os pesquisadores reuniram um conjunto de 7 bilhões de "pontos", removendo do conjunto todos os que representavam coisas como estrelas, galáxias e supernovas conhecidas. A lista resultante continha 22 milhões de objetos, e então a equipe começou o meticuloso trabalho de "ligar os pontos" à procura de pares binários ou até mesmo trigêmeos. Feito isso, sobraram 400 pontos que foram vistos em pelo menos seis noites de observação.

Desse total de 400, os pesquisadores iniciaram, então, a missão de garantir que eles fossem objetos reais e únicos. Para fazer essa filtragem, eles bateram a lista com os TNOs já conhecidos, observando-os por 25 noites diferentes a fim de rastrear suas posições. A técnica de empilhamento de imagens foi empregada aqui, permitindo a criação de uma imagem mais nítida sobre o que se estava observando, o que ajudou a confirmar se os objetos detectados eram mesmo TNOs reais.

O Observatório Interamericano de Cerro Tololo, onde fica a câmera do DES usada na descoberta dos novos objetos trans-netunianos (Foto: Fermilab)

Depois de muitos meses de trabalho, eles confirmaram 316 TNOs, incluindo 245 descobertas já feitas pelo DES e 139 novos objetos, que nunca haviam sido publicados até então. Plutão fica 40 vezes mais distante do Sol do que a Terra, e os novos TNOs descobertos variam de 30 a 90 vezes a distância entre o nosso planeta e a estrela do Sistema Solar. Alguns deles, por sinal, têm órbitas tão longas que eles são projetados para muito além do planeta-anão em questão.

E as descobertas podem não parar por aí, pois os pesquisadores estão executando novamente sua análise em todo o conjunto de dados do DES, aplicando um filtro ainda maior para tentar detectar mais mundos naquela região. Ou seja: pode ser que, em breve, tenhamos a notícia de que a região após Netuno abriga um número ainda maior de pequenos objetos — a equipe estima que esse número pode chegar a 500.

Fonte: Phys.org, Penn Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.