Lançamentos russos ficarão 30% mais baratos para concorrer com preços da SpaceX

Por Patrícia Gnipper | 14 de Abril de 2020 às 10h57

Dmitry Rogozin, administrador da agência espacial russa Roscosmos, revelou, em relatório enviado ao presidente Vladimir Putin, que os lançamentos de foguetes feitos por lá ficarão 30% mais baratos, para que o país possa concorrer em pé de igualdade com a estadunidense SpaceX.

A empresa espacial de Elon Musk aposta em foguetes reutilizáveis e, por isso, os custos por lançamento são bastante inferiores, deixando a SpaceX em situação vantajosa neste mercado. Cada lançamento deles custa cerca de US$ 60 milhões, e a NASA acaba pagando aos russos entre 1,5 e 4 vezes mais nos transportes de astronautas à Estação Espacial Internacional. Em breve, por sinal, esse transporte será feito justamente pela SpaceX, com sua nave tripulável Crew Dragon.

Sobre a redução no preço de cada lançamento, Rogozin disse isso é uma "resposta à política de dumping de empresas americanas que são financiadas pelo orçamento dos Estados Unidos". Ele acusa a SpaceX de praticar preços predatórios em relação ao restante do mercado, o que, segundo a agência espacial russa, gera uma concorrência desleal.

Pelo Twitter, Musk respondeu às críticas russas, ressaltando o fato de que seus foguetes são 80% reutilizáveis, enquanto a Rússia ainda não tem nenhum deste tipo. "Este é o problema", afirma.

Vale lembrar que, no ano passado, a Rússia chegou a anunciar seu interesse em desenvolver foguetes reutilizáveis nos moldes dos da SpaceX. O projeto se chamava Yansei e visava a construção de um foguete pesado e potente como o Falcon Heavy, de Elon Musk, sob a tutela das empresas Russian Rocket e Space Corporation Energia. A ideia inicial seria fazer o primeiro lançamento deste novo foguete em 2028, com voos para a Lua começando em 2030 — mas pode ser que esses planos acabem sendo antecipados, dado o cenário atual da indústria e do crescente sucesso da SpaceX. Ainda, a Roscosmos também vinha planejando desenvolver uma versão reutilizável de seus foguetes Soyuz, que seria chamada de Soyuz-5-Light. Contudo, um cronograma para este desenvolvimento não chegou a ser revelado publicamente.

Fonte: SpaceDaily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.