Publicidade

James Webb tira fotos de exoplanetas orbitando estrelas mortas

Por| Editado por Luciana Zaramela | 06 de Fevereiro de 2024 às 15h23

Link copiado!

W. M. Keck Observatory/Adam Makarenko
W. M. Keck Observatory/Adam Makarenko

O telescópio James Webb capturou imagens diretas de dois exoplanetas na órbita de estrelas anãs brancas. Os novos registros são surpeendentes, já que a observação direta é o método mais difícil de detectar mundos que orbitam outras estrelas que não o Sol.

Por enquanto, os objetos são considerados candidatos a planetas, ou seja, novas observações são necessárias para confirmar a descoberta. Cada um orbita uma anã branca diferente: uma delas é a WD 1202−232, localizada a cerca de 32 anos-luz de distância, e a outra é WD 2105−82, a 52 anos-luz de distância, aproximadamente.

Até o momento, poucos planetas foram encontrados em torno de anãs brancas, então os novos candidatos são oportunidade única de estudar sistemas do tipo. As distâncias curtas também são uma grande vantagem, pois assim os telescópios podem obter dados em maiores detalhes.

Continua após a publicidade

Em relação às suas estrelas, os candidatos estão a distâncias semelhantes às de Júpiter e Saturno em nosso Sistema Solar. Se os dados estiverem corretos, significa que Júpiter e Saturno podem sobreviver à morte de nossa estrela hospedeira.

Essa descoberta é particularmente interessante, porque anãs brancas são um como um retrato do futuro de nosso Sol. É que, daqui a 5 bilhões de anos, nossa estrela vai morrer e vai deixar para trás apenas uma anã branca, um núcleo quente e denso, como remanescente.

Por isso, ao estudar planetas na órbita de anãs brancas, os cientistas têm um vislumbre sobre o futuro do Sistema Solar. Estima-se que nos “últimos suspiros” do Sol, quando ele vai se tornar uma gigante vermelha, os planetas rochosos acabem destruídos.

Continua após a publicidade

O estudo está disponível no arXiv e foi aceito para publicação no The Astrophysical Journal Letters.

Fonte: Space.com, arXiv.org