Exoplaneta a 4,2 anos-luz pode ser mais parecido com a Terra do que imaginamos

Por Daniele Cavalcante | 29 de Maio de 2020 às 21h30

No que diz respeito a exoplanetas, muitos holofotes estão voltados para o sistema de Proxima Centauri, a estrela mais próxima do nosso Sol. Enquanto alguns pesquisadores tentam descobrir se o planeta Proxima c realmente existe, uma equipe internacional de cientistas conseguiu detalhar algumas características do Proxima b, cuja existência foi confirmada em 2016.

Essa equipe incluiu pesquisadores da Universidade de Genebra (UNIGE) e os resultados foram publicados na revista Astronomy & Astrophysics. O estudo revela que o Proxima b tem massa equivalente a 1,17 da massa terrestre e está localizado na zona habitável de sua estrela. Sua órbita ao redor da estrela é de apenas 11,2 dias.

Para isso, eles usaram as medições do espectrógrafo ESPRESSO, fabricado na Suíça e instalado no Very Large Telescope, no Chile. Ele fez medições da velocidade radial na estrela Proxima Centauri, que fica a 4,2 anos-luz de distância do Sol, com uma precisão de 30 cm/s. Esse desempenho é um ótimo resultado que comprova que o do ESPRESSO é o espectrógrafo mais preciso da atualidade.

Michel Mayor, vencedor do Prêmio Nobel de Física em 2019, disse que “o ESPRESSO tornou possível medir a massa do planeta com uma precisão de mais de um décimo da massa da Terra, o que é completamente inédito”.

As medições também confirmam que o Proxima b recebe de sua estrela energia comparável à que a Terra recebe do Sol. Isso significa que sua temperatura superficial pode permitir que a água - se existir por lá - permaneça em estado líquido em alguns lugares longe dos polos norte e sul. A presença de água poderia ser um indicativo de que o planeta poderia abrigar alguma forma de vida, além de tudo.

Embora ainda exista um longo caminho a percorrer e muitas pesquisas para realizar, o Proxima b se mostra um candidato interessante para a busca por bioassinaturas. A estrela Proxima é uma anã vermelha ativa que bombardeia seu planeta com raios X, recebendo cerca de 400 vezes mais que a Terra, o que pode complicar as coisas para seres vivos de lá, mas talvez o planeta possua uma atmosfera que o proteja da radiação estelar.

Se essa atmosfera existir, restará saber se ela contém os elementos químicos necessários para permitir o desenvolvimento da vida, como o oxigênio, por exemplo. Esses e outros detalhes precisam ser confirmados antes de levantar suspeitas de que exista alguma forma de vida em Proxima b, ou se existiu no passado.

Existe um segundo planeta?

Em janeiro, uma equipe de pesquisadores anunciou ter encontrado evidências de um possível segundo planeta na órbita de Proxima Centauri. Mais tarde, outro grupo conseguiu registrar o que parecia ser registrar uma imagem real dele.

Com a precisão das medições feitas pelo ESPRESSO, a equipe encontrou evidências de um segundo sinal nos dados. No entanto, ainda não foi possível determinar a origem deles. "Se o sinal fosse de origem planetária, este potencial segundo planeta que acompanha o Proxima b teria uma massa menor que um terço da massa da Terra. Seria o menor planeta já medido usando o método da velocidade radial", disse o professor Francesco Pepe, líder do projeto ESPRESSO.

Se estiver lá, o Proxima c será o exoplaneta mais próximo de nós já fotografado diretamente - o que será um marco histórico para a ciência. Mas ainda é cedo para afirmar qualquer coisa sobre um segundo mundo no sistema Proxima. Mesmo que pesquisadores já tenham registrado sinais e até mesmo alguma imagem desse suposto planeta, pode ser algum outro objeto cósmico naquela região.

Fonte: Phys.org

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.