Este conceito mostra uma espaçonave tripulada capaz de viajar a outras estrelas

Por Daniele Cavalcante | 30 de Abril de 2020 às 11h17
Thomas Budach/Pixabay

Um astrônomo publicou um artigo que leva a ideia de vela solar espacial a um novo patamar. Ele propõe uma espaçonave que utiliza um sistema de propulsão acionado por um feixe de laser, e isso poderia possibilitar a primeira viagem interestelar tripulada da história da humanidade.

Muitos consideram que as velas solares - conceito apresentado por Carl Sagan da década de 1970 e que agora se mostra funcional, graças à LightSail 2 -, são uma grande aposta para levar uma nave a outros sistemas estelares. Essas velas são pequenas, leves, e impulsionadas pelos fótons emitidos pelo Sol. Mas Alberto Caballero, autor do novo estudo, argumenta que elas podem não ser a melhor opção, já que não são capazes de transportar pessoas.

Então, ele criou o conceito e design da Solar One, uma nave espacial bem maior, também movida a vela, porém usando a energia de um laser alimentado por um pequeno reator de fissão nuclear. Se funcionar, ela poderia atingir 30% a velocidade da luz chegaria ao sistema Alpha Centauri - o mais próximo de nós - em 15 anos. E, melhor ainda, levando dois astronautas a bordo.

Será necessário juntar três tecnologias já existentes para tornar a Solar One real: uma vela de luz solar bem grande, um reator de fissão nuclear e uma versão atualizada do sistema a laser HELLADS (Sistema de Defesa de Área a Laser Líquido de Alta Energia, um demonstrador de sistema de armas a laser operado pela DARPA).

Diagrama do conceito para construção da Solar One

O reator seria uma versão do Mega Power Reactor, do Laboratório Nacional de Los Alamos, que pesa 35 toneladas. Ele é capaz de produzir até 10 MW, ou o equivalente a 2 MW de energia contínua por 12 anos. E a vela solar seria uma versão atualizada da Sunjammer, uma vela proposta pela NASA que mede 1.444 m².

Já o módulo de tripulação da nave seria capaz de transportar dois astronautas. A vela produziria uma força incrível de mais de 170.000 newtons, resultando em uma aceleração constante. "O principal aspecto dessa ideia reside no tamanho extremamente grande da vela", disse Alberto.

Um reator de micro-fissão como este pode custar cerca de 16 milhões de dólares, e o sistema de laser custaria cerca de 21 milhões de dólares. A missão Sunjammer, da NASA, que construiu a grande vela, custou 27 milhões de dólares. Também seria necessário um foguete para o lançamento, e um candidato é o Starship, da SpaceX, o que custaria cerca de 30 milhões de dólares.

Com base nessas estimativas, Alberto calcula que o custo total do Solar One pode ficar abaixo de 100 milhões de dólares. O que não é muito, considerando a grandiosidade de uma missão rumo a uma estrela vizinha. Os maiores desafios seriam técnicos, como proteger a vela dos impactos com asteroides.

Este é apenas um conceito, e planejar uma missão real é algo bem mais complexo - ainda mais quando se coloca vidas humanas em risco. Mas caso a eficácia da proposta seja comprovada, pode ser que a humanidade consiga sair do Sistema Solar e visitar mundos distantes mais cedo do que se imagina.

Fonte: Space Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.