Equipe da primeira missão tripulada da nave Crew Dragon rumo à ISS está formada

Por Daniele Cavalcante | 31 de Março de 2020 às 17h49
SpaceX
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Foi concluída a seleção da equipe que viajará na primeira missão operacional tripulada da espaçonave Crew Dragon, da SpaceX. A NASA a JAXA (a agência espacial japonesa) escolheram os dois astronautas que faltavam para completar a lista de tripulantes que serão lançados à Estação Espacial Internacional (ISS).

Os selecionados foram a norte-americana Shannon Walker e o japonês Soichi Noguchi. Eles se juntarão aos astronautas da NASA Michael Hopkins e Victor Glover Jr., completando o time de quatro passageiros.

Ainda não há uma data anunciada para o lançamento desta missão, mas ela acontecerá somente após a primeira missão tripulada da SpaceX, um voo de teste chamado Demo-2 que levará os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley para a ISS e depois os trará de volta. A Demo-2 está programada para ser lançada na segunda quinzena de maio.

Preparativos para a missão Demo-2 da Crew Dragon (Foto: SpaceX)

Formada em Física e com doutorado em ciências e física espacial, Shannon Walker já viajou para a ISS. Ela trabalhou em projetos relacionados à estação espacial até ser selecionada para o grupo de astronautas em 2004. Foi lançada ao espaço como tripulante da Expedição 24 em 15 de junho de 2010 e ficou na ISS durante dois meses, integrando posteriormente a Expedição 25.

O engenheiro aeronáutico Soichi Noguchi também é um veterano nas missões da ISS. Antes disso, ele foi designado para o apoio técnico do módulo experimental japonês da estação e em 26 de julho de 2005 viajou como tripulante da missão STS-114 Discovery, a primeira missão espacial norte-americana após o desastre com a nave Columbia. Em dezembro de 2009 ele viajou à ISS e passou a compor a equipe da Expedição 22 e integrou também a equipe da Expedição 23.

A SpaceX possui um contrato de US$ 2,6 bilhões com a NASA para realizar seis missões operacionais à ISS com sua espaçonave Crew Dragon e seu foguete Falcon 9. A Boeing mantém um acordo semelhante, no valor de US$ 4,2 bilhões, para o desenvolvimento da espaçonave CST-100 Starliner. Ambas as naves são um esforço dos EUA para voltar a lançar seus astronautas a partir de solo norte-americano e de solo igualmente norte-americano, deixando de depender dos foguetes e naves russas Soyuz para as missões à ISS. Desde 2011, a agência espacial depende da Rússia para esse transporte à ISS.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.