Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Destaque da NASA: vasta galáxia espiral é a foto astronômica do dia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 01 de Fevereiro de 2024 às 12h40

Link copiado!

Jean-Baptiste Auroux/Mike Selby
Jean-Baptiste Auroux/Mike Selby

A galáxia NGC 1365 aparece com toda sua beleza na foto destacada pela NASA nesta quinta-feira (1º). Ela se estende por cerca de 200 mil anos-liz e pode ser encontrada a 60 milhões de anos-luz da Terra em direção à constelação Fornax, a Fornalha. 

Esta galáxia é o membro dominante do Aglomerado da Fornalha, um agrupamento galáctico a 62 milhões de anos-luz de nós. Como está relativamente próximo, o aglomerado é uma fonte de informações valiosas para astrônomos que estudam a evolução destas estruturas.

Continua após a publicidade

Na foto, NGC 1365 aparece com grande nitidez. As áreas avermelhadas nos braços da galáxia indicam regiões de formação estelar; já as regiões escuras revelam longas faixas de poeira dispersas pelo núcleo, lar de um buraco negro supermassivo.

NGC 1365 é considerada uma galáxia barrada. Para os astrônomos, esta estrutura tem papel importante para a evolução dela: o gás e poeira presentes ali servem tanto para formar estrelas quanto para alimentar o buraco negro

O que é uma galáxia espiral?

As galáxias podem ser classificadas como elípticas, irregulares, espirais e espirais barradas — e, no caso, NGC 1365 pertence a este último tipo. As espirais são conhecidas por suas estruturas complexas, formadas por um bojo denso no centro de um disco com estrutura espiral.

Continua após a publicidade

Já as espirais barradas têm algumas diferenças em relação às espirais comuns. Por exemplo, os braços delas não se ligam ao centro, mas sim às duas pontas de uma barra de estrelas com um núcleo no centro. A maior parte das galáxias espirais parece pertencer a esta categoria.

Como a aparência das galáxias espirais varia, a classificação delas acaba dependendo muito da posição delas em relação à Terra. As espirais mais espetaculares são, claro, aquelas que aparecem de frente em nossa perspectiva; já as mais difíceis de identificar são as que estão na lateral, de modo que só a parte externa dos seus braços espirais é visível.

Fonte: APOD