Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Destaque da NASA: mancha solar gigante é foto astronômica do dia

Por| Editado por Luciana Zaramela | 15 de Maio de 2024 às 15h13

Link copiado!

Sebastian Voltmer
Sebastian Voltmer

A impressionante mancha solar AR 3664 está na foto destacada pela NASA nesta quarta (15). A imagem capturada por Sebastian Voltmer mostra esta formação na superfície do Sol, grande suficiente para comportar 15 planetas com o tamanho da Terra. 

As manchas solares são regiões magnéticas no Sol, e têm cor escura porque são mais frias que seus arredores. Elas costumam produzir explosões de partículas — e, se a mancha estiver na direção da Terra em um momento desses, leva menos de 10 minutos para o material expelido pela explosão nos alcançar.

O tamanho da AR 3664 é impressionante por si só e pode ser comparado ao da mancha solar relacionada ao chamado Evento de Carrington, considerado a maior tempestade solar já registrada. 

Continua após a publicidade

Em 1859, Richard Carrington estava desenhando as manchas solares que viu no nosso astro, até que houve uma forte emissão luminosa. Tal emissão foi uma ejeção de massa coronal que causou uma tempestade geomagnética sem precedentes.

Já na imagem recente do Sol, há uma proeminência solar se estendendo para longe da AR 3664. As proeminências se formam na superfície do nosso astro e se estendem para suas camadas mais externas.

Tempestade solar extrema

Continua após a publicidade

A Terra acaba de enfrentar a tempestade solar mais forte das últimas décadas. O evento foi causado pela mancha solar AR 3664, que disparou nos últimos dias uma série de erupções e ejeções de massa coronal. 

As partículas destas emissões alcançaram o campo magnético do nosso planeta e o enfraqueceram temporariamente. O resultado disso é que as partículas chegaram à atmosfera terrestre e interagiram com as moléculas gasosas, criando auroras coloridas em latitudes pouco comuns. 

O comportamento agitado do Sol não é inesperado. Afinal, nosso astro está se aproximando do máximo solar, nome dado ao pico de atividade em seu ciclo de 11 anos.

Fonte: APOD