Publicidade

Destaque da NASA: aurora boreal vista de avião é a foto astronômica do dia

Por| Editado por Patricia Gnipper | 18 de Janeiro de 2024 às 18h33

Link copiado!

Ralf Rohner
Ralf Rohner

Uma bela aurora boreal brilha na foto astronômica destacada pela NASA nesta quinta-feira (18) no site Astronomy Picture of the Day. O fenômeno é incrível por si só, mas se destacou ainda mais na nova imagem porque foi registrado iluminando a estratosfera da Terra. 

A estratosfera é a segunda camada da atmosfera terrestre em relação ao solo. Ela é o lar da camada de ozônio, que absorve e dispersa a radiação ultravioleta, e se estende a até 50 km de altura.

Para registrar a aurora boreal ali, o fotógrafo precisou de uma exposição de cinco segundos, capturada enquanto estava a bordo de uma aeronave que voava sobre Winnipeg, no Canadá. 

Continua após a publicidade

Você deve ter percebido que há vários rastros coloridos na foto. Eles são simplesmente as luzes da cidade, que foram registradas em arcos alongados na direção em que o avião se movia. Mais à frente, está a aurora boreal. 

A cena mostra também o brilho das estrelas no plano da Via Láctea. Já no canto superior esquerdo da foto está a luminosidade discreta de Andrômeda, a galáxia espiral mais próxima da nossa.

Formação das auroras boreais

Continua após a publicidade

A aurora boreal é um fenômeno luminoso que acontece quando partículas eletricamente carregadas do Sol vêm em direção ao nosso planeta, e são desviadas em direção aos polos pelo campo magnético terrestre. Ali, elas interagem com os gases atmosféricos e emitem luzes coloridas. 

As cores variam de acordo com o tipo de átomo ou molécula com que as moléculas interagem. Por exemplo, é comum que as auroras boreais tenham tons de vermelho,vindos das moléculas de nitrogênio; já o verde é causado pelo oxigênio. 

O nome “aurora boreal” foi escolhido pelo astrônomo italiano Galileu Galilei a partir de Aurora, a deusa romana do amanhecer, e de Bóreas, que é o vento do norte na mitologia grega. Entretanto, é possível que o fenômeno seja conhecido há ainda mais tempo: uma pintura feita há 30 mil anos encontrada em uma caverna na França parece representar uma aurora boreal. 

Fonte: APOD