China quer lançar seu 1º telescópio espacial até 2024

China quer lançar seu 1º telescópio espacial até 2024

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 15 de Março de 2022 às 11h30
CSNA

A China quer lançar seu primeiro telescópio espacial entre 2023 e 2024. Chamado Sky Survey Module, o telescópio observará e analisará os mecanismos envolvidos na expansão do universo, entre outras estruturas celestes, enquanto mapeia as regiões do céu profundo, em alta resolução, por 10 anos.

A óptica adaptativa permite corrigir os efeitos da turbulência atmosférica nas observações dos telescópios terrestres, obtendo uma boa imagem com a compensação em tempo real. Mas a atmosfera absorve a luz no infravermelho e em alguns outros comprimentos de onda. Por essa razão, um telescópio espacial, posicionado na órbita da Terra, garante uma observação sem a interferência da camada atmosférica.

O Sky Survey foi inicialmente projetado para estar acoplado à estação espacial chinesa, a Tiangong-3 (Imagem: Reprodução/China Manned Space Engineering Office)

Em 2010, quando o projeto da estação espacial chinesa Tiangong-3 foi aprovado, o objetivo era instalar um módulo óptico de 2 m de diâmetro no Módulo Experimental II da unidade orbital. No entanto, um telescópio acoplado à estação limitaria bastante o tempo e áreas de observação do Sky Survey, que só poderia observar cerca de metade do tempo de observatórios de outros países.

Então, em 2015, a equipe envolvida no conceito do telescópio propôs a construção de uma telescópio espacial independente. O Sky Survey, então, operará "dividindo" a órbita com a estação espacial chinesa, sem que um atrapalhe o outro — e essa dinâmica também facilitará bastante qualquer trabalho de manutenção.

Conceito do telescópio Sky Survey

O Sky Survey se concentrará em levantamentos de alta resolução angular e espectrais. Segundo o chefe do projeto no programa espacial da China, Zhou Jianping, seu desempenho será o melhor entre todos os telescópios espaciais já lançados.

O Sky Survey terá um campo de visão cerca de 300 vezes superior ao do telescópio espacial Hubble (Imagem: Reprodução/NASA)

O módulo óptico abriga um telescópio com 2 metros de abertura, um pouco menor do que os 2,4 metros do Hubble, mas maior do que os 1,2 metros do Euclid. O Sky Survey observará o céu em diversos comprimentos de onda, incluindo a luz visível, infravermelho e ultravioleta.

O Sky Survey é desenvolvido com um campo de visão efetivo de 1,1 graus quadrados — quase 300 vezes o campo de visão efetivo do Hubble. Ele também foi projetado para uma alta precisão e estabilidade na plataforma, superando o recém-lançado James Webb em termos de estabilidade.

Além disso, o módulo contém um espelho dobrável adicional para alternar em diferentes cargas ópticas, foco e estabilidade da imagem. Ele também será o primeiro telescópio espacial da China a usar a óptica adaptativa, com a incrível autonomia de se acoplar à estação espacial para eventuais reparos.

Conjunto de ferramentas

O módulo abrigará cinco equipamentos: câmera de pesquisa, espectrômetro de campo de visão integrado, gerador de imagens multicanal, o Exoplanet Imaging Coronagraph e o Receptor Terahertz. Vale destacar que o Exoplanet Imaging aumentará a capacidade de o Sky Survey detectar e estudar exoplanetas.

Conceito artístico do Sky Survey (Imagem: Reprodução/CNSA)

Com toda essa estrutura, a China espera tornar o Sky Survey seu principal equipamento de observação espacial pelos próximos 10 anos. Ele estudará os efeitos das lentes gravitacionais e também pesquisará sobre matéria e energia escuras.

O Sky Survey não apenas preencherá a atual lacuna dos grandes telescópios chineses, como superará qualquer desempenho de trabalhos anteriores, com a melhor qualidade possível para um telescópio espacial. Espera-se que ele observe, analise e revele o mecanismo da expansão acelerada do universo.

Fonte: Via Sina Finance

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.